Wilton Junior/Estadão Conteúdo
Wilton Junior/Estadão Conteúdo

Messi é convocado para a seleção argentina mesmo sem entrar em campo pelo PSG

O astro e capitão da equipe de Lionel Scaloni estará presente na rodada tripla de Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar, onde enfrentará Neymar pela sexta vez por seleções

AFP, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2021 | 12h50

O capitão e artilheiro da seleção argentina, Lionel Messi, foi convocado nesta segunda-feira para disputar a tríplice data da eliminatória sul-americana para a Copa do Mundo do Catar-2022, em um elenco em que se destacam os atacantes Paulo Dybala e Lautaro Martínez. O astro ainda não estreou pelo seu novo clube, o Paris-Saint Germain. O início de sua trajetória na França deve acontecer no dia 29, em partida contra o Reims, válida pela 4ª rodada do Campeonato Francês.

Após uma saída inesperada do Barcelona por conta do Fair Play Financeiro do Campeonato Espanhol, Messi assinou contrato com os parisienses até a temporada 2022/23, com opção de renovação até 2023/24. O salário anual do atacante deve girar em torno de 30 milhões a 35 milhões de euros (R$ 182,82 milhões a R$ 213,29 milhões). 

Sem grandes surpresas, a convocação do treinador Lionel Scaloni implica para a nova estrela do PSG iniciar um novo caminho em busca de sua maior ambição: vencer uma Copa do Mundo que tem se mostrado ilusória, depois de tirar um 'peso das costas' ao conquistar a Copa América neste ano pela primeira vez.

A Argentina deve visitar a Venezuela em 2 de setembro e, em seguida, o Brasil em 5 de setembro. Esse será o sexto encontro entre Messi e Neymar, 'novos velhos' companheiros que duelaram pelo título do torneio continental a pouco mais de um mês. Para completar o trio de partidas, a seleção argentina recebe a Bolívia em 9 de setembro. 

O líder das Eliminatórias é o Brasil, com 18 pontos em seis jogos. A Argentina o acompanha com 12, o Equador é o terceiro com 9, e Uruguai e Colômbia vêm atrás com oito pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.