Joan Monfort/ AP
Joan Monfort/ AP

Messi: meia é liberado da última rodada do Espanhol e causa mais dúvidas sobre permanência no Barça

Com a liberação, jogador pode ter feito sua despedida pelo clube catalão na derrota para o Celta por 2 a 1, domingo passado; futuro do jogador ainda é uma dúvida

Redação, Estadão Conteúdo

21 de maio de 2021 | 08h45

O Barcelona não terá o argentino Lionel Messi na partida contra o Eibar, neste sábado, fora de casa, pela 38.ª e última rodada do Campeonato Espanhol. Mas o motivo de sua ausência não é por lesão ou suspensão. Em um comunicado oficial divulgado nesta sexta-feira, o clube anunciou que o craque foi liberado do treinamento e não viajará com a delegação. Assim, teve permissão do técnico holandês Ronald Koeman para começar as suas férias antes de iniciar os preparativos para a Copa América com a Argentina.

"Leo Messi não treinou com a permissão do treinador e não estará na convocação para o jogo contra o Eibar neste sábado. Desta forma, o craque argentino terá uma pequena pausa antes da Copa América, após uma temporada em que foi um dos jogadores com mais minutos no elenco", divulgou o clube catalão em seu site oficial e nas redes sociais.

Com a liberação, Messi pode ter feito a sua despedida pelo Barcelona na derrota para o Celta por 2 a 1, no domingo passado, no estádio Camp Nou, em Barcelona, pela 37.ª rodada. O resultado negativo acabou com qualquer chance matemática de título no Campeonato Espanhol. Com contrato apenas até o final do mês de junho, o argentino tem se mantido longe dos rumores sobre o seu futuro.

Na atual temporada, Messi disputou 47 partidas em todas as competições - além do Campeonato Espanhol, jogou Liga dos Campeões da Europa e Copa do Rei. É o artilheiro do torneio nacional com 30 gols, sete à frente do rival mais próximo Gerard Moreno, do Villarreal, o que significa que é quase certo que ele ganhará o troféu Pichichi pela oitava vez em sua carreira.

Messi quebrou na atual temporada o recorde de jogos pelo clube com 778 partidas e o recorde mundial de mais gols em um clube com 672. O futuro do jogador de 33 anos permanece em dúvida. O argentino tentou sair no ano passado usando um "burofax", com Manchester City e Paris Saint-Germain dizendo estar interessados, mas foi impedido pelo ex-presidente Josep Maria Bartomeu.

O regresso de Joan Laporta, que mantém uma boa relação com Messi, como sucessor de Bartomeu este ano pode ter um papel na decisão do jogador sobre o seu futuro. Laporta teria sancionado uma oferta de contrato de 10 anos para Messi, seis vezes eleito o melhor jogador do mundo. No entanto, Manchester City e Paris Saint-Germain voltaram a carga pelo craque argentino.

Quem conduz as conversas pela renovação no Barcelona é o pai do craque, Jorge Messi, que aguarda uma proposta formal dos catalães para definir a situação do jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.