Messi é quase insubstituível, diz técnico do Barcelona

Machucado, o atacante do Barcelona Lionel Messi é quase insubstituível, mas o time espanhol está determinado a superar sua ausência temporária, disse o técnico Pep Guardiola nesta terça-feira.

REUTERS

21 de setembro de 2010 | 15h28

Messi não participará dos jogos do Barça no Campeonato Espanhol contra Sporting Gijon, na quarta-feira, e Athletic Bilbao, no sábado, depois de sofrer uma falta do defensor do Atlético de Madri Tomas Ujfalusi, no fim de semana, que lesionou o ligamento de seu tornozelo.

O melhor jogador do mundo em 2009, que marcou o gol de abertura na vitória do Barça por 2 x 1 no estádio Vicente Calderón, também é dúvida para a partida da Liga dos Campeões contra o Rubin Kazan no dia 29 de setembro.

"Ele (Messi) tem um talento especial", afirmou Guardiola em entrevista coletiva. "Ele é quase insubstituível, mas seguiremos e felizmente ele está fora por um período curto."

Guardiola disse que Messi poderá voltar em duas ou três semanas, porém o Barcelona, atual campeão espanhol, não vai apressar o retorno do argentino.

"Não sei se ele jogará contra o Rubin Kazan. Ele vai descansar até que fique bem", afirmou o treinador, ex-meia do Barça e da seleção espanhola.

Ujfalusi, que levou cartão vermelho pela falta nos acréscimos do jogo, pediu desculpas e disse que não tinha intenção de causar a lesão.

"Não sou um jogador violento", afirmou ele na segunda-feira. "Entro de forma dura mas sempre visando a bola e dou tudo de mim em cada jogo."

(Reportagem de Iain Rogers)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTMESSIGUARDIOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.