Manu Fernandez| AP
Manu Fernandez| AP

Messi não comparece ao 1º dia de julgamento por fraude em Barcelona

Argentino deve ir à corte na quinta, quando fará depoimento

O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2016 | 12h13

O julgamento de Lionel Messi, sobre a acusação de fraude fiscal na Espanha, começou nesta terça-feira, em Barcelona. O camisa 10 do clube catalão e da seleção argentina responde pelo não pagamento correto de 4,1 milhões de euros (R$ 16,46 milhões) em impostos sobre seus ganhos com direitos de imagem entre 2007 e 2009.  

Messi não compareceu à corte neste primeiro dia, porém ele foi intimado a depor na quinta-feira. A sentença deve ser anunciada apenas na próxima semana. Com o depoimento, Messi perderá parte da preparação da seleção argentina para a Copa América Centenário, disputada nos Estados Unidos. A Argentina estreará no dia 6 de junho, contra o Chile. 

"A intenção do sr. Lionel Messi era comparecer ao plenário, mas ele sofreu uma lesão (nas costas)", afirmou Javier Sanchez-Vera, um dos advogados do argentino, que chegou a apresentar um laudo médico na corte. 

O principal acusado no caso é seu pai, Jorge Horacio Messi, mas o jogador também foi acionado. A Justiça espanhola até admite que o atleta não conhecesse por completo a dedução de tributos, no entanto acredita ser impossível que ele não tenha ciência do esquema armado com empresas fantasma no Uruguai, Belize, Suíça e Reino Unido para evitar o fisco. 

Caso sejam sentenciados, Lionel e Jorge Messi podem pegar 22 meses e 15 dias de prisão. Além disso, correm o risco de serem obrigados a ressarcir os cofres espanhóis com a quantia fraudada.

Antes de Messi, Javier Mascherano, também do Barcelona, foi julgado por fraude fiscal na Espanha. O zagueiro argentino foi sentenciado a um ano de prisão, que não precisará cumprir, e ao pagamento de uma multa de 800 mil euros (R$ 3,211 milhões) pelo não pagamento de 1,5 milhão de euros (R$ 6,02 milhões) em impostos. 

Os brasileiros Neymar e Adriano, companheiros de Messi no Barcelona, e Xabi Alonso, atualmente no Bayern de Munique, mas que foi acionado pelo período em que jogava pelo Real Madrid, são outros atletas processados pelo não pagamento de tributos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.