Manu Fernandez/AP
Manu Fernandez/AP

Messi nega rivalidade com Luis Enrique e saída do Barcelona

Craque argentino reafirma que nunca quis deixar a equipe catalã e dispara contra boatos sobre o técnico: 'Sou apenas um jogador'

REUTERS

12 de janeiro de 2015 | 11h07

O atacante do Barcelona Lionel Messi negou que tenha pedido a demissão do técnico Luis Enrique ou que esteja buscando sair de seu clube de juventude em direção à Inglaterra. O capitão da seleção da Argentina e do Barça falou pela primeira vez sobre os rumores de um desentendimento com Luis Enrique, que assumiu o comando da equipe no lugar de Tata Martino, compatriota de Messi, no fim da última temporada.

A aparente insatisfação de Messi com o estilo e as táticas do técnico o teriam levado a abrir negociações com Chelsea e Manchester City sobre uma possível transferência para o futebol inglês, enquanto a imprensa catalã alegou que Messi exigiu a demissão de Luis Enrique.

“Eu não pedi nada para ficar aqui porque nunca quis ir para nenhum outro lugar”, disse Messi ao canal de TV do Barcelona após a vitória de domingo no Campeonato Espanhol sobre o Atlético de Madrid, atual campeão. “Escutei também que meu pai teria falado com o Chelsea e o City, mas é tudo mentira”, acrescentou o jogador de 27 anos.

“Já existiram histórias de má relação com (Pep) Guardiola, (Samuel) Eto’o, (Zlatan) Ibrahimovic e Bojan (Krkic), e de que me livrei das pessoas”, disse ele. “Isso não é verdade, de maneira nenhuma. Eu nunca pedi para que se livrassem do técnico ou de nenhuma outra pessoa. Não existe rivalidade entre mim e Luis Enrique.”

O status de Messi como herói dos torcedores do Barça, devido ao seu papel na era mais bem-sucedida do clube, o torna uma figura poderosa, mas ele negou os boatos de que tem influência sobre decisões importantes.

“Estou cansado de escutar coisas sobre mim”, disse Messi. “Eles dizem que eu mando no clube, quando sou apenas mais um jogador. Não tomo essas decisões, nem pedi que fossem tomadas”, assegurou. “Magoa porque isso parte da mídia de Barcelona, e não de Madri.”

“Há pessoas que querem prejudicar o clube e é importante que agora mais do que nunca estejamos unidos, há coisas importantes à frente.” Messi teve uma noite atribulada no jogo contra o Atlético no domingo à noite, marcando um gol, dando assistências para os gols de Neymar e Luis Suárez e cometendo um pênalti pela primeira vez em sua carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.