Messi, Neuer e Cristiano Ronaldo disputam a Bola de Ouro de 2014

Messi, Neuer e Cristiano Ronaldo disputam a Bola de Ouro de 2014

Enquanto o argentino vai atrás do seu quinto prêmio, português, atual melhor do mundo, busca o 3º; goleiro concorre pela 1ª vez

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

01 de dezembro de 2014 | 14h23

Cristiano Ronaldo, Lionel Messi e Manuel Neuer são os finalistas na disputa pela Bola de Ouro, o maior troféu individual do futebol concedido pela Fifa. Se o português e o argentino travam uma disputa particular pelo prêmio, a novidade veio da nomeação de um goleiro entre os melhores.

Neymar, uma vez mais, fica de fora da lista e o Brasil, apesar de ter sediado a festa do futebol mundial em 2014, aparece como mero coadjuvante na seleção dos melhores do mundo.

O brasileiro do Barcelona concorre a um lugar apenas na lista da seleção do ano, ao lado de outros 55 outros jogadores. Thiago Silva, David Luis, Dani Alves, Filipe Luis e Marcelo também foram selecionado para a disputa do que seriam os onze titulares de uma seleção mundial. Entre as mulheres, Marta está entre as três finalistas e concorre à melhor do mundo, mas com poucas chances.

Atual detentor do troféu entre os homens, Cristiano Ronaldo é o favorito para o que seria seu terceiro título. Mesmo sem ter tido um Mundial brilhante, seu ano no Real Madrid superou todas as expectativas e o português se transformou em uma unanimidade mesmo entre rivais. Ele foi o artilheiro da Liga dos Campeões, o artilheiro da Europa e levou o seu clube ao título continental. Se vencer uma vez mais a Bola de Ouro, Cristiano Ronaldo se igualará a Ronaldo e Zidane.

Lionel Messi aparece na lista dos finalistas pela sétima vez consecutiva e depois de bater todos os recordes, com quatro troféus. O jogador levou a Argentina à final da Copa do Mundo e deixou o torneio como o troféu de melhor jogador do Mundial. Mas, em seu clube, teve um início do ano abaixo do seu rendimento normal. Ainda assim, nos últimos dois meses, tem recuperado sua forma e bateu uma vez mais todos os recordes de gols marcados.

Em um ano "ruim", o 10 do Barça se transformou no maior goleador da historia da Liga Espanhola e se transformou no maior artilheiro da Liga dos Campeões, com 74 gols.

LUVAS

O "intruso" na disputa particular entre Messi e Ronaldo este ano é o alemão Neuer. Sua seleção venceu a Copa do Mundo, ele melhor goleiro do Mundial e titular da seleção da Uefa de 2014. Ele ainda fez parte da lista dos três melhores jogadores da Europa em 2013-2014 e, pelo segundo ano consecutivo, foi eleito o melhor jogador alemão.

Se vencer, Neuer entra na lista dos raros goleiros que chegaram ao topo do esporte dominado por justamente aqueles que marcam gols, e não que os evita. Em 1963, o goleiro soviético Lev Yashin foi eleito como o vencedor da Bola de Ouro. Em 2006, Gianluigi Buffon chegou à final. Mas, até 2010, apenas jogadores europeus participavam do prêmio dado pela revista France Football.

Em 2002, o alemão Oliver Kahn ficou em segundo lugar na escolha da Fifa. Desde que a entidade passou a dar o seu prêmio, em 1991, nenhum goleiro venceu.

Agora, do próprio Kahn a Xabi Alonso, passando por Miroslav Klose e Franck Ribéry, são muitos os que apostam no alemão de quase 2 metros de altura para levar o prêmio. Michel Platini, presidente da Uefa, e Joseph Blatter, presidente da Fifa, criaram uma polêmica ao defender que um jogador da seleção campeã do mundo fosse recompensado.

COADJUVANTES

Fora da disputa, Neymar amarga mais um ano longe dos maiores do mundo. Seus assessores deixaram claro em 2012 e 2013 que o jogador tinha como meta estar entre os três melhores em 2014, ano da Copa do Mundo. Mas seu rendimento no Mundial não foi suficiente e, para completar, sua lesão no jogo contra a Colômbia o afastou dos campos por semanas.

Neymar, apesar de estar sendo chave na seleção brasileira de Dunga, terá de esperar mais um ano para entrar na lista dos melhores.

Se em 2014 a festa do futebol mundial foi no Brasil, o País é uma vez mais apenas um coadjuvante entre os grandes astros. A única conquista internacional do Brasil em 2014 foi ter conseguido colocar seis jogadores entre os 55 candidatos para formar parte da seleção do mundo. O prêmio é considerado como secundário dentro da própria Fifa.

O Brasil não conseguiu colocar um técnico entre os três melhores da Fifa e o título ficará entre Carlo Ancelotti do Real Madrid, Diego Simeone, do Atlético de Madri, e o treinador da seleção campeã do mundo, o alemão Joaquin Löw.

Nenhum brasileiro foi selecionado como melhor treinador no futebol feminino e, na lista das melhores jogadoras do mundo, Marta está na final. Mas não é a favorita e terá de concorrer contra a americana Wambach e a alemã Kessler.

Nenhum brasileiro foi selecionado para concorrer ao gol mais bonito do ano, título que ficará entre Stephanie Roche, James Rodriguez e Robin van Persie. O anuncio do vencedor sai em janeiro, em uma festa de gala em Zurique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.