Sven Hoppe/ AP
Sven Hoppe/ AP

Messi, Neymar e Suárez comandam o Barcelona sem egoísmo

Trio sul-americano já marcou 114 gols nesta temporada

O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2015 | 18h19

O Barcelona fez uma aposta arriscada no começo da temporada vendendo seu vice-artilheiro do ano anterior, Alexis Sanchéz, e contratando o polêmico atacante Luis Suárez, máximo goleador do campeonato inglês em 2014, com 31 gols. Se dentro de campo o técnico Luis Enrique ganhava mais um grande goleador, seria mais um ego para administrar no vestiário, ao lado das estrelas Messi e Neymar.

Depois de marcarem 114 dos 166 gols do clube catalão nesta temporada, com Messi liderando a conta, com 53, Neymar em segundo, com 37 e Suárez na rabeira com 24, o trio sul-americano mais caro do mundo, com valores estimados de 232 milhões de euros (R$ 792 milhões), de acordo com o site especializado Transfermarkt, mostra a cada jogo que não existe egoísmo entre eles.

Na segunda partida da semifinal da Liga dos Campeões contra o Bayern de Munique, na Alemanha, nesta terça, Suárez mostrou como funciona este espírito dando duas assistências para Neymar, quando ele mesmo podia ter balançado as redes.

Assim, o brasileiro chegou ao gol de número nove na principal competição de clubes da Europa, ficando apenas atrás do companheiro argentino, que marcou dez vezes. Como comparação, em todo o seu primeiro ano no Barcelona, sob a direção do técnico argentino Gerardo "Tata" Martino, Neymar fez apenas 14 gols. Na partida na Allianz Arena, também foi possível ver outro fato, Messi não teve de aparecer tanto. Este desafogo para o camisa 10 pode colocá-lo de volta ao topo do futebol mundial. Essa é análise feita pelo técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, que acha que seu compatriota 'nunca contou com tanta qualidade ao seu redor'. Messi não joga mais sozinho, apesar de ainda fazer diabruras, como fez no jogo contra o Bayern no Camp Nou, semana passada.

Messi, aliás, é o único remanescente do até então ataque mais prolífico da história do Barcelona formado por ele, Eto'o e Thierry Henry na temporada 2008/09 - a primeira do time sob o comando de Pep Guardiola e que ficou marcada com a conquista de seis títulos (Campeonato Espanhol, Liga dos Campeões, Copa do Rei, Supercopa da Espanha, Supercopa da Europa e Mundial). Os três marcaram 100 gols, divididos da seguinte maneira: 38 do argentino, 36 do camaronês e 26 do francês.

Os números do ataque do Barcelona nesta temporada são ainda mais impressionantes quando se leva em conta que Luis Suárez ficou fora dos três primeiros meses de competições. Ele só pôde estrear dia 26 de outubro porque havia sido suspenso pela Fifa por quatro meses depois de ter mordido o zagueiro italiano Chiellini durante o jogo do Uruguai contra a Itália pela última rodada da primeira fase da Copa do Mundo. Se ele tivesse começado a se entrosar com Neymar e Messi já na pré-temporada, possivelmente o número de gols do trio certamente seria bem maior a esta altura.

RESUMO DO TRIO MARAVILHA

Neymar - atacante brasileiro - 37 gols na temporada

Messi - meia argentino - 53 gols

Suárez - atacante uruguaio - 24 gols

Barcelona na temporada - 166 gols

Valor estimado dos contratos - R$ 800 milhões 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.