Ian Langsdon/EFE
Ian Langsdon/EFE

Messi perde pênalti, Neymar joga pouco, mas Mbappé define no fim e PSG bate Real Madrid

Astro de apenas 23 anos vai para cima da defesa nos acréscimos e garante vantagem ao time francês no duelo de volta

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2022 | 19h09

Depois de 80 dias fora dos gramados, Neymar retornou a jogar nesta terça-feira, nas oitavas de final da Liga dos Campeões. O astro brasileiro entrou aos 27 minutos do segundo tempo, incendiou o jogo e viu o Paris Saint-Germain superar a forte retranca do Real Madrid, no Parque dos Príncipes, com golaço de Kylian Mbappé no último lance e triunfo por 1 a 0. Messi ainda teve um pênalti defendido por Courtois. A derrota mínima acabou barata para os merengues, sufocados em grande parte da partida.

A decisão da vaga será no dia 9 de março no Santiago Bernabéu, em Madri. E o PSG jogará pelo empate. Apesar de atuar em seus domínios, o time merengue, além da pressão da vitória, terá de superar desfalques importantes. Casemiro e Mendy estavam pendurados e levaram o cartão amarelo.

Sem jogar desde o fim de novembro por causa de entorse no tornozelo esquerdo, Neymar entrou somente aos 27 minutos do segundo tempo para enorme frisson da torcida. Em um jogo duro, tinha 18 minutos, mais os acréscimos, para tentar colocar o PSG em vantagem no mata-mata.

Cheio de vontade, o camisa 10 partiu para cima da marcação, tabelou, sofreu falta, bateu escanteios, ajudou na marcação, cochichou com Messi tramando jogadas e perdeu uma boa chance... E estava bem perto quando Mbappé passou por dois marcadores, aos 48 minutos do segundo tempo, para festejar o gol do amigo, que pode se transferir para o time merengue no meio do ano.

Depois de mais de dois meses se recuperando do grave entorse no tornozelo esquerdo, o brasileiro Neymar conseguiu ficar em condições para o jogo de ida das oitavas de final e muitos acreditavam que iniciaria a partida. Mas, Maurício Pochettino optou por deixá-lo na reserva pela falta de ritmo. Do outro lado, Carlo Ancelotti não teve dúvidas em escalar seu artilheiro Benzema, curado de lesão muscular que o deixou fora por três semanas.

Os ataques poderosos eram as armas de franceses e espanhóis por um grande resultado no Parque dos Príncipes. Messi e Mbappé ganharam companhia de Di María, enquanto Benzema formou o trio com Asensio e Vinícius Júnior.

O primeiro lance de perigo saiu justamente dos pés do substituto de Neymar. Mbappé balançou para cima da marcação de Carvajal e deu passe preciso para Di María mandar a oportunidade de ouro para o alto. Lance que não se desperdiça em jogos do quilate do confronto das oitavas.

Ao lado do goleiro Keylor Navas, que perdeu a disputa de titular para Donnarumma, Neymar observava tudo atentamente, ansioso pela estreia oficial em 2022. Ano de Copa do Mundo, o brasileiro espera brilhar e, para isso, pretende levar o PSG a grandes conquistas.

Atuando em casa, o PSG tomou as ações do confronto, atuando sempre no ataque, apostando na velocidade pelas laterais. O Real Madrid se fechou na defesa, mas Carvajal sofria com Mbappé. Courtois evitou que os franceses abrissem vantagem com o atacante cara a cara.

Com o deslocamento de Éder Militão para a dobra da marcação pela direita, Mbappé já não conseguia mais criar boas jogadas. Com Messi sumido e Di María errando bastante, o jogo esfriou, pois o Real Madrid se absteve do ataque nos primeiros 45 minutos - finalizou uma única vez, com Casemiro de cabeça já no fim. Com o jogo equilibrado e duro, a entrada de Neymar tinha tudo para ser um diferencial.

Pochettino frustrou a expectativa da torcida e manteve a escalação inicial. Assim como no primeiro tempo, o PSG assustou, desta vez com Mbappé parando em defesaça de Courtois. O goleiro ainda parou Messi. 

A gritaria aumentou no Parque dos Príncipes quando os reservas do PSG foram ao aquecimento. Entre eles Neymar, com o cabelo descolorido.  Antes das trocas, o árbitro anotou pênalti de Carvajal em Mbappé. Messi bateu para fazer seu 27° gol contra o Real Madrid, mas parou em Courtois.

Neymar entrou e logo de cara sofreu falta perigosa após passar até pelo árbitro e ser parado com falta. O brasileiro ensaiou a cobrança com Messi. O argentino, com o peso do pênalti perdido nas costas, optou pela batida e errou o alvo.

Neymar apareceu bastante, mostrando enorme vontade. Assim como Mbappé, Messi e companhia tiveram bastante chances para levar um ótimo resultado para Madri. Mas só conseguiram um gol no lance final. Para coroar a supremacia do PSG na partida, Mbappé passou como quis pelos marcadores e, enfim, conseguiu superar o gigante Courtois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.