Wilton Junior/Estadão Conteúdo
Wilton Junior/Estadão Conteúdo

Messi recorda título da Copa América sobre Brasil: 'Nos tratavam como fracassados'

Craque argentino desabafa em entrevista dois meses após a conquista no Maracanã, encerrando o jejum de 28 anos sem título da seleção albiceleste

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2021 | 10h18

Há dois meses, no estádio do Maracanã, Rio, a Argentina conquistava o título da Copa América ao bater o Brasil na grande decisão por 1 a 0, com gol do atacante Ángel di María, dando fim a um jejum de 28 anos sem levantar uma taça. Em entrevista para a ESPN Argentina, o craque Lionel Messi desabafou, dizendo que os jogadores eram tratados como fracassados antes disso e que ressaltou a dificuldade de ganhar um torneio internacional.

"Um pouco do que falamos antes, com o tema do que passou em 2014 (Copa do Mundo), 2015 (Copa América), 2016 (Copa América Centenário), uma parte do jornalismo nos tratava como fracassados, que não sentíamos a camiseta, eles pediam que não jogássemos mais na seleção. Nós tentamos dar o máximo, tentamos ser campeões, era o primeiro que queríamos", afirmou o jogador do Paris Saint-Germain.

"E não se passa por ganhar ou perder, é difícil ganhar um Mundial, uma Copa América. Nós não cremos sempre que somos os melhores do mundo e tem de começar por reconhecer que não somos os melhores, há seleções que competem, que não é fácil ganhar. Temos de pensar pelo trabalho, por dar o máximo sempre", completou o craque argentino.

Messi também disse que antes "eles eram os piores" e agora "são os melhores", além de lembrar que a Argentina precisa continuar crescendo como equipe para as próximas competições. "Antes éramos os piores por perder finais, agora somos os melhores por ganhar. Tivemos a sorte de ganhar a Copa América, mas temos de seguir crescendo, preparando para o que vem, porque tem seleções muito boas, querendo ser campeãs e competem de igual para igual", disse.

O craque revelou ainda que nunca teve férias tão boas como as últimas graças ao título da Copa América. Nem mesmo todo o imbróglio envolvendo sua saída do Barcelona o desanimou. "Finalmente tive umas férias felizes desde o primeiro ao último dia. Antes, os primeiros 15 dias de férias eram amargos, sem vontade de fazer nada", comentou.

O jogador do Paris Saint-Germain quebrou o silêncio também sobre a dura entrada que levou de Luis Adrián Martínez, da seleção da Venezuela, durante a partida válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, na última quinta-feira, em Caracas. "Naquele momento senti minha perna recuar, senti algo no joelho, tive um pouco de desconforto no jogo. Por sorte foi só o golpe, mas naquele momento o chute foi feio."

Vale lembrar que, aos 27 minutos do primeiro tempo, o argentino driblou perto da meia-lua da área e Luis Adrián Martínez, que havia entrado três minutos antes, acertou duramente a perna esquerda do camisa 10. O árbitro deu só o cartão amarelo, mas, após a intervenção do VAR, modificou a decisão devido à gravidade da falta e expulsou o jogador. Messi rolou de dor no chão, mas se levantou e conseguiu completar os 90 minutos sem problemas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.