Carlos Cruz/América-MG
Carlos Cruz/América-MG

Jogador do América-MG presta queixa por injúria racial contra goleiro do Oeste

'O goleiro me chamou de 'macaco'. Isso é uma falta de respeito, cara', afirma o zagueiro

Estadão Conteúdo

01 Outubro 2017 | 17h26

A partida entre América-MG e Oeste foi carregada de tensão na manhã deste domingo, no estádio Independência, em Belo Horizonte (MG), pela Série B do Campeonato Brasileiro. Não bastasse a virada do time paulista, que venceu por 2 a 1, o duelo também virou caso de polícia depois que o zagueiro Messias, do time mineiro, acusou o goleiro Rodolfo, do Oeste, de tê-lo chamado de macaco em uma jogada nos momentos finais.

+ Oeste vira sobre América-MG, encosta no G-4 e Inter abre seis pontos na liderança

+ Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

"O goleiro me chamou de 'macaco'. Isso é uma falta de respeito, cara. Com certeza, vou fazer ocorrência contra esse goleiro aí", comentou Messias em entrevista após o jogo.

Inconformado, antes da cobrança de escanteio, o zagueiro levantou os braços dentro da área e depois correu em direção aos policiais pedindo a entrada dos mesmos no gramado. Após muita discussão entre jogadores e treinadores dos dois times e o jogo teve continuidade. Já estava nos acréscimos.

Ainda no gramado, os microfones da transmissão de TV captaram Rodolfo se defendendo das acusações: "Eu sou negro também, rapaz". Nenhum jogador do Oeste deu entrevista após o jogo.

Messias foi conduzido por diretores do América-MG para uma delegacia próxima ao estádio Independência para registrar um boletim de ocorrência por injúria racial. Em campo, o América-MG continua vice-líder isolado, com 48 pontos, enquanto o Oeste chegou aos 44 pontos, em sétimo lugar, no fechamento da 27.ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.