Ademir Rodrigues/Divulgação
Ademir Rodrigues/Divulgação

Metade dos estádios da Copa de 2014 não atingiu 50% das obras

Arenas de Cuiabá, Curitiba, Manaus, Natal, Porto Alegre e São Paulo são os mais atrasados, mas ritmo dos trabalhos não preocupa a Fifa

Reuters

03 de setembro de 2012 | 19h50

BRASÍLIA - Metade dos estádios da Copa do Mundo de 2014 não alcançou 50% da execução dos trabalhos a menos de dois anos do torneio, aponta relatório divulgado pelo Ministério do Esporte nesta segunda-feira.

Entre as seis arenas que ainda não atingiram metade do cronograma em agosto estão as de Cuiabá (47%), Curitiba (45%), Manaus (44%), Natal (30%), Porto Alegre (33%) e São Paulo (48%). A previsão é que estes estádios estejam finalizados entre junho e dezembro de 2013.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, visitou o Brasil na semana passada e disse que os preparativos para o Mundial no país entraram em "ritmo de cruzeiro" e que foi informado não haver nenhum estádio em alerta "vermelho" para a Copa ou em zona crítica.

O estádio Arena das Dunas, em Natal, é o que tem a pior situação. As obras começaram há apenas um ano e só neste mês será iniciada a montagem das arquibancadas. A previsão é que o local seja entregue em dezembro de 2013, apenas seis meses antes do Mundial.

Já o estádio de Fortaleza é o mais avançado, com 87% das obras e previsão de entrega para dezembro deste ano. O Castelão terá capacidade para 67 mil pessoas e será uma das sedes da Copa das Confederações de 2013, evento-teste para o Mundial de 2014.

As cidades de Belo Horizonte (78% dos trabalhos completados), Brasília (72%), Rio de Janeiro (62%) e Salvador (70%) são as outras cidades confirmadas para o torneio do ano que vem.

A arena de Recife, com 51% das obras atingidas, está previamente selecionada para a Copa das Confederações, mas ainda não foi confirmada devido ao ritmo dos trabalhos.

Valcke reconheceu que o estágio de Recife preocupa a entidade, que deve anunciar sua decisão no início de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014Fifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.