Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Meu limite no São Paulo são os resultados, diz Juan Carlos Osorio

Para o treinador, clube precisa se reforçar após perda de oito atletas

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2015 | 13h53

Desde que assumiu o São Paulo, Juan Carlos Osorio perdeu oito jogadores, entre eles, três titulares (Denilson, Souza e Rafael Toloi). Esse desmanche do elenco e a sequência de três derrotas consecutivas, antes do jogo da última quarta-feira com o Ceará, levaram o treinador a pensar em assumir a seleção mexicana, que chegou a sondá-lo. O treinador revelou que seu limite são os resultados.

"Quando alguém pergunta para mim se meu futuro está no São Paulo, eu contesto. O futebol vive de resultados, e o futebol brasileiro ainda mais", disse Osorio, em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, no CT Barra Funda.

Osorio afirmou que recebeu várias propostas, do Brasil e do exterior. "Não mudarei o São Paulo para nenhum clube. Recebi proposta dos Emirados Árabes e de outros clubes da América do Sul e recusei. Aconteceu após as três derrotas e meu telefone tocou. Fiquei feliz disso ter acontecido, mas estou feliz no São Paulo e no futebol brasileiro. Tenho um objetivo profissional a médio prazo de ir a uma Copa do Mundo", disse Osorio.

Em relação à campanha do São Paulo no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil, Osorio foi bem objetivo ao definir as posições carentes do São Paulo. Para o colombiano, o time precisa de um volante e de um atacante.

"Na minha opinião, precisamos de um volante e de um centroavante. Precisamos de um atacante que saiba cabecear, um Luis Fabiano jovem. Minha responsabilidade é trabalhar no clube. No São Paulo, muita gente dá opinião, isso é exagerado. Trato de ser claro e concreto. Tem de saber o que você vai comprar. No futebol, é dito muita coisa fútil, que não acrescenta nada", afirmou o colombiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.