Mexicanos provocam o São Caetano

Além da rivalidade conquistada ao longo da Taça Libertadores, com os dois confrontos pela primeira fase, São Caetano e América-MEX colocaram os nervos à flor da pele após o terceiro duelo, pelas oitavas-de-final da competição, vencida pelo time brasileiro por 2 a 1. O clima no final e após o jogo esquentou e as provocações tomaram o lugar do futebol. Após o segundo gol do São Caetano, o da virada, Serginho comemorou provocando Blanco, o principal alvo dos brasileiros. Minutos mais tarde, Ortiz foi expulso após chutar sem bola o meia Gilberto, enquanto os dois dividiam uma bola. Quando o jogo acabou, os ataques foram verbais. Enquanto o meia Blanco ameaçava os jogadores brasileiros de que o jogo no México eles dariam o troco, os brasileiros, revoltados, prezavam a humildade. "O problema maior é este Blanco, que fica provocando. Ele está velho já, não joga mais nada. Eles podem até conseguir a classificação no México, mas têm que ter humildade acima de tudo", esbravejou o lateral Anderson Lima, autor do primeiro gol do time do ABC. Quanto à vitória, o técnico Muricy Ramalho valorizou principalmente o poder de reação de seu time. "Fomos fortes, mantivemos a calma e conseguimos a virada. No México, vai ser ainda mais difícil, mas a vantagem que conseguimos aqui vai ser de extrema importância."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.