Sergey Dolzhenko/EFE
Sergey Dolzhenko/EFE

México e Rússia fazem duelo decisivo por vaga na semi da Copa das Confederações

Equipe do técnico Juan Carlos Osorio venceu na última rodada e precisa de um empate para garantir vaga

Estadao Conteudo

24 de junho de 2017 | 06h06

A seleção do México faz neste sábado um confronto decisivo para se garantir na semifinal da Copa das Confederações. O desafio, contudo, promete não ser fácil: encara a anfitriã Rússia, na Arena Kazan, em Kazan, na Rússia, às 12 horas (de Brasília), pela terceira e última rodada do Grupo A.

Líder da chave com quatro pontos, os mesmos de Portugal, o México soma um a mais do que a Rússia e avança com um simples empate. Já os anfitriões, para não dependerem do resultado do duelo dos portugueses contra a Nova Zelândia no mesmo horário, precisam da vitória.

E o desafio agrada o técnico da seleção mexicana, o colombiano Juan Carlos Osorio. "Me parece que é o cenário perfeito para o futebol mexicano, jogando fora de casa ante um anfitrião muito apoiado por seus torcedores e lutando pela classificação", destacou o ex-treinador do São Paulo. "Queremos controlar o jogo e mostrar ao mundo que podemos competir sob condições difíceis. Esperamos fazê-lo bem e dar um passo adiante".

Depois de poupar boa parte dos titulares na vitória sobre a Nova Zelândia, de virada, por 2 a 1, Juan Carlos Osorio escalará força máxima neste sábado. Mas o México não contará com o zagueiro Carlos Salcedo, lesionado, e pode perder Héctor Moreno, que se recupera de uma contratura. O veterano Rafael Márquez, assim, pode ganhar uma chance.

A seleção russa, por sua vez, além de buscar uma vaga na semifinal, busca uma maior estabilidade ao técnico Stanislav Cherchésov, muito criticado após uma sequência de amistosos instáveis e, especialmente, a fraca atuação contra Portugal, na última quarta-feira, na derrota por 1 a 0.

"Não acho que fizemos um jogo defensivo contra Portugal. Talvez as coisas tenham acontecido dessa maneira porque sofremos um gol cedo", defendeu-se o treinador. "Respeitamos o México e somos o único time que não foi campeão neste torneio. Começamos em último e, de acordo com isto, estamos nos preparando para derrotá-los".

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.