Ronaldo Schemidt| AFP
Ronaldo Schemidt| AFP

México lança campanha após punição, mas grito homofóbico se repete

Torcedores se manifestam tiros de meta dos goleiros adversários

Estadão Conteúdo

30 de março de 2016 | 10h58

Apesar da Federação Mexicana de Futebol ter lançado uma campanha para erradicar dos estádios um grito ofensivo aos homossexuais, os torcedores ignoraram a ação na noite de terça-feira, no jogo contra o Canadá, vencido por 2 a 0 e válido pelas Eliminatórias da Concacaf para a Copa do Mundo de 2018.

Com 2min30 de jogo, o goleiro canadense Milan Borjan cobrou seu primeiro tiro de meta e a grande maioria do público presente ao Estádio Azteca gritou "puto" - palavra considerada de conotação homofóbica no México. A manifestação se repetiu várias vezes durante o encontro.

Essa mesma expressão custou ao México uma multa de US$ 20 mil (aproximadamente R$ 72 mil), aplicada pela Fifa em janeiro, em razão do comportamento dos torcedores mexicanos em relação ao goleiro de El Salvador, em partida disputada em novembro de 2015.

Pela manhã, a federação anunciou a campanha, chamada "Abraçados pelo futebol", com vídeos de 30 segundos de duração, onde vários jogadores da seleção pedem pelo fim da discriminação. Entre os participantes estão Javier Chicharito Hernandez, Rafa Márquez e Andrés Guardado. Antes do jogo, os vídeos foram transmitidos no Estádio Azteca.

"Nós, como federação, não gostamos desse grito. Reconhecemos que algumas pessoas têm interpretado como uma expressão homofóbica. Nós não consideramos que os torcedores vem com esse sentido: eles vêm para se divertir e nada mais. No entanto, nós achamos que há melhor maneiras de expressar entusiasmo e até mesmo mexer com o adversário, colocando pressão", disse Guillermo Cantú, secretário-geral da Federação Mexicana de Futebol.

Os mexicanos já haviam sido investigados pela Fifa em razão do grito durante a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Naquela ocasião, porém, não houve punição sob a justificativa de que o grito "não é considerado um insulto nesse contexto específico".

 

No México, os torcedores de quase todas as equipes gritam o insulto, que teria surgido em partidas do Chivas Guadalajara e se popularizou após confronto entre México e Estados Unidos, em Guadalajara, pelas Eliminatórias da Olimpíada de 2004. No Brasil, grito parecido, com a expressão "bicha" se popularizou nos estádios nos últimos anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.