Andrew Couldridge/Reuters
Andrew Couldridge/Reuters

México pode ter zaga só com estreantes em Copas contra Brasil

Seleção mexicana vai jogar desfalcada de Héctor Moreno, o principal líder da defesa titular

Estadão Conteúdo

28 Junho 2018 | 19h26

Além de lutar contra um tabu de seis eliminações consecutivas em oitavas de final de Copas dos Mundo, o México terá de superar um outro problema sério para desbancar o favoritismo do Brasil no jogo da próxima segunda-feira, às 11 horas (de Brasília), em Samara, onde as duas seleções se enfrentarão em busca de uma vaga nas quartas do Mundial da Rússia. O time mexicano jogará desfalcado de Héctor Moreno, o principal líder da zaga titular, que recebeu o segundo cartão amarelo na derrota por 3 a 0 para a Suécia, na última quarta, em Ecaterimburgo, e precisará cumprir suspensão.

+ Rivais nas oitavas, Tite e Osorio ficaram no empate no último duelo

+ Seleção brasileira se prepara para encarar na Copa freguês perigoso

Sem a principal referência no setor, o técnico Juan Carlos Osorio pode mandar a campo um dupla de zaga formada por estreantes em Copas, assim como também são os dois prováveis laterais que deverão ser escalados contra os brasileiros.

Um dos jogadores que é considerado nome certo na equipe mexicana para este próximo duelo é o zagueiro Carlos Salcedo, que já foi titular nos três confrontos da primeira fase. E o jogador que aparece como provável substituto de Moreno é Hugo Ayala, que formou dupla de zaga com o atleta suspenso na vitória por 1 a 0 sobre a Alemanha, na estreia, em Moscou, onde Salcedo foi escalado por Osorio como lateral-direito.

Depois disso, Edson Álvarez ocupou a lateral no triunfo por 2 a 1 sobre a Coreia do Sul e na derrota para os suecos nas partidas seguintes. Jesús Gallardo, o ala esquerdo de apenas 20 anos, é outro que encara o primeiro Mundial de sua carreira.

A única opção de atleta experiente em Copas do Mundo disponível para este jogo decisivo com os brasileiros é Rafa Márquez, de 39 anos, convocado por Osorio e que disputa na Rússia o seu quinto Mundial. Porém, o veterano vem sendo utilizado pelo comandante como opção de banco e entrar como um volante, até porque não possui mais o vigor físico e a velocidade de outros tempos para atuar com segurança como zagueiro. Ele substituiu Guardado no decorrer dos duelos contra Alemanha e Coreia do Sul.

 

Moreno, de 30 anos, foi chamado para jogar a sua terceira Copa e vem sendo o grande líder da defesa mexicana desde quando Osorio assumiu a seleção, em 2015. Porém, o atleta da Real Sociedad não poderá encarar o Brasil. "Sem dúvida, é uma baixa importante para o time, mas aqui há outros 22 jogadores com capacidade e não tenho dúvidas de que algum de nós poderá substituí-lo", afirmou Miguel Layún, que é um lateral que desempenhou a função de volante nos três jogos na primeira fase.

Se não surpreender na escalação na segunda-feira, Osorio deve levar a campo em Samara o quarteto defensivo formado por Álvarez, Salcedo, Ayala e Gallardo, todos vivendo o seu primeiro Mundial. Uma outra opção para dar mais experiência ao setor defensivo seria recuar Layún, de 30 anos, para atuar como lateral, a sua posição de origem, e escalar outro jogador como volante pela direita.

Layún disputou a Copa das Confederações de 2013 pelo México e depois esteve presente no Mundial de 2014, no Brasil, onde os mexicanos empataram por 0 a 0 com a seleção comandada por Felipão, em Fortaleza, pela primeira fase do torneio.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.