Rodrigo Coca/Ag.Corinthians
Rodrigo Coca/Ag.Corinthians

Mexidas de Sylvinho dão resultado, Corinthians marca no fim e vence o Fortaleza

Time alvinegro conseguiu mais um triunfo de forma dramática, desta vez com gol de Cantillo no fim da partida

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2021 | 19h07

O Corinthians repetiu o roteiro do duelo contra a Chapecoense e garantiu mais uma vitória dramática, conquistada com um gol nos minutos finais. Neste sábado, o time de Sylvinho derrotou o Fortaleza por 1 a 0 na Neo Química Arena graças às mexidas de seu treinador e à postura ofensiva na etapa final. Ele lançou mão de Cantillo e Jô no segundo tempo. O gol teve a participação do centroavante e foi marcado pelo meio-campista colombiano no fim da partida que abriu a 30ª rodada do Brasileirão

O Corinthians segue invicto desde que o torcedor retornou à Neo Química Arena. Venceu o quarto jogo que fez em casa com a presença da Fiel - desta vez, pouco mais de 36 mil foram ao estádio - e ganhou força na briga por uma vaga na próxima edição da Libertadores. A equipe foi premiada pelas mudanças de seu técnico e, sobretudo, pela boa apresentação no segundo tempo, quando dominou o Fortaleza, muito desfalcado, e empilhou chances. 

O resultado deixa o Corinthians no sexto lugar, com 47 pontos, mais próximo justamente do Fortaleza, que se manteve em quinto, mas viu o rival ficar a um ponto de diferença. O time alvinegro, de quebra, aumentou sua vantagem para o Inter, sétimo colocado. O Red Bull Bragantino é o último dentro do G-4, com 49 pontos.

Corinthians e Fortaleza fizeram um primeiro tempo interessante na Neo Química Arena, embora sem muitas chances de gols. Faltaram aproximação, movimentação e amplitude, especialmente ao time anfitrião, que, estático e lento na construção das jogadas, teve dificuldade de chegar ao gol. Os visitantes fecharam os espaços e armaram bons contragolpes, embora poucos.

Cada um teve duas oportunidades para abrir o placar. O Corinthians chegou com Roger Guedes em finalização cruzada e Gil, em cabeceio defendido por Marcelo Boeck. Renato Augusto, atuando como um falso 9, ficou muito isolado no ataque. O Fortaleza, mesmo desfalcado, mostrou entrosamento e assustou com Bruno Melo, em arremate de fora, e Matheus Vargas, que obrigou Cássio a fazer boa defesa após trama pelo meio. David saiu machucado e fez falta.

O segundo tempo ganhou em emoção com a nova postura do Corinthians, aparentemente mais disposto a abrir o placar. A equipe de Sylvinho usou mais infiltrações e mostrou mais velocidade na troca de passes, levantando a torcida. 

No entanto, ainda dependeu muito de Róger Guedes, que tentou de tudo, mas não estava no melhor de seus dias e prendeu a bola mais do que o lance pedia em algumas ocasiões. Ainda assim, saiu dos pés do camisa 123 os principais lances do Corinthians. O atacante fez Boeck se esticar para defender cobrança de falta no canto e foi quem mais se mexeu na frente, insatisfeito com o empate em casa.

Gustavo Mosquito, Cantillo e Jô foram as armas lançadas por Sylvinho até a metade do segundo tempo. O time ficou mais leve, criou especialmente pelo lado direito, mas a pontaria não estava acurada. Giuliano mandou por cima do gol boa chance criada por Fagner e Mosquito parou em Boeck minutos depois. O melhor lance saiu dos pés de Renato Augusto. O meio-campista veterano recebeu de Giuliano e bateu bonito, de primeira. A bola explodiu no "pé" da trave. 

O Corinthians chegou ao seu gol de tanto martelar e encurralar o Fortaleza. Mais uma vez no fim do jogo e de forma dramática. O gol foi marcado por Cantillo, aos 41 minutos, e teve participação determinante de Jô, que mudou a produção ofensiva da equipe com a sua entrada. O centroavante recebeu de Róger Guedes e fez o pivô para o meio-campista colombiano aparecer livre na frente do goleiro e bater com precisão para garantir o triunfo. Róger Guedes, no fim, quase ampliou, mas parou em Boeck.

CORINTHIANS 1 X 0 FORTALEZA

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, João Victor, Gil e Fábio Santos; Gabriel (Jô), Du Queiroz (Cantillo), Giuliano, Renato Augusto (Xavier) e Gabriel Pereira (Gustavo Mosquito); Róger Guedes. Técnico: Sylvinho.

FORTALEZA - Marcelo Boeck; Tinga, Marcelo Benevenuto, Jackson e Bruno Melo; Felipe, Ronald, Matheus Vargas (Edinho) e Lucas Lima (Depietri); Robson (Henríquez) e David (Romarinho [Igor Torres]). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

GOL - Cantillo, aos 41 minutos do segundo tempo. 

ÁRBITRO - Ramon Abatti Abel (SC)

CARTÕES AMARELOS - Fagner, Róger Guedes, Felipe, Lucas Lima, Robson, Cantillo

PÚBLICO - 36.219 torcedores

RENDA - R$ 1.909.460,60

LOCAL - Neo Química Arena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.