Mario Guzman/EFE
Mario Guzman/EFE

Miguel Herrera é anunciado como novo técnico da seleção mexicana

Antecessor Victor Vucetich comandou a seleção por apenas dois jogos

AE-AP, Agência Estado

18 de outubro de 2013 | 16h22

CIDADE DO MÉXICO - A seleção do México voltou a mudar de comando. Horas depois de Victor Manuel Vucetich revelar que tinha sido demitido do cargo em que ficou apenas dois jogos, a Federação Mexicana de Futebol anunciou nesta sexta-feira a contratação do técnico Miguel Herrera. Será dele a responsabilidade de conseguir a classificação para a Copa do Mundo de 2014, no confronto com a Nova Zelândia, em novembro, pela repescagem das Eliminatórias.

Em menos de 1 mês e meio, Miguel Herrera é o quarto técnico a comandar a seleção mexicana. As trocas começaram no dia 7 de setembro, quando José Manuel de la Torre foi demitido por causa da campanha ruim nas Eliminatórias da Copa. Antes da contratação de Victor Manuel Vucetich, Luis Fernando Tena chegou a ser o interino em uma partida. Agora, é a vez de apostar em Miguel Herrera, para evitar o vexame de ficar fora da Copa do Mundo.

Vucetich ficou apenas dois jogos no cargo, justamente as duas últimas rodadas das Eliminatórias da Concacaf. Ganhou do Panamá na Cidade do México e perdeu para a Costa Rica fora de casa. Assim, a seleção mexicana terminou em quarto lugar, sem uma das três vagas diretas para a Copa. Mas avançou para a repescagem, quando fará um confronto com a Nova Zelândia, representante da Oceania, para definir quem vai ao Mundial.

Aos 45 anos, Miguel Herrera deixa o comando do América, um dos times mais populares do país, para assumir o novo cargo. Como jogador, ele foi um zagueiro de sucesso no México. E como treinador, teve passagens por Atlante, Monterrey, Veracruz e Tecos antes de chegar no ano passado ao emprego que está deixando agora. Sua inspiração é o técnico argentino Ricardo La Volpe, que adotou um estilo ofensivo na seleção mexicana na Copa de 2006.

Miguel Herrera assume uma seleção em crise. Neste ano, foi eliminada na fase de grupos da Copa das Confederações, caiu nas semifinais da Copa Ouro e terminou apenas em quarto lugar nas Eliminatórias da Concacaf. Seu desafio é superar a Nova Zelândia, nos jogos de 14 e 20 de novembro, para ir ao Mundial. O México ficou fora da Copa do Mundo pela última vez em 1990, em razão de uma punição imposta pela Fifa. Agora, corre risco novamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.