Miguel Veloso promete Portugal focado para pegar EUA

Depois de ser goleado pelos alemães em Salvador, portugueses prometem que estarão mais concentrados para o segundo jogo

Agência Estado

19 de junho de 2014 | 18h47

Após a derrota humilhante para a Alemanha na estreia do Grupo G da Copa do Mundo, o elenco de Portugal se prepara para o próximo duelo, contra os Estados Unidos. Para continuar a ter chances de passar para as oitavas de final, o volante Miguel Veloso disse que o elenco está totalmente focado.

"Sabemos a importância que este jogo tem, é uma autêntica final e as finais são para ganhar", afirmou o jogador de 28 anos, que atua no Dínamo de Kiev, da Ucrânia. "Todos nós estamos habituados a grandes competições e à pressão que existe, por isso espero que possamos dar a volta por cima. Que a equipa reme toda para o mesmo lado porque só assim conseguiremos vencer".

Apesar de garantir que o elenco está totalmente recuperado para os jogos seguintes, Veloso admitiu que o revés diante dos alemães deixou marcas. Ainda sobre o assunto, o atleta fez questão de agradecer o apoio que todo o grupo recebeu de portugueses e brasileiros na concentração em Campinas (SP), base da seleção para o Mundial.

"Depois da derrota para a Alemanha não foi fácil. Por isso só temos de agradecer o apoio que tivemos no treino e continuar a trabalhar para retribuir esse apoio", disse, sobre os mais de 10 mil torcedores que compareceram ao treinamento na última terça, no estádio Moisés Lucarelli.

O confronto contra os norte-americanos está marcado para as 19 horas (18 horas locais) de domingo, na Arena Amazônia, em Manaus. A capital amazonense vem sendo assunto em função das altas temperaturas e umidade elevada, mas o português garantiu que o fator climático não deve servir como desculpas. "Sabemos que iremos encontrar algumas dificuldades em Manaus porque a temperatura é elevada, mas não pode servir de desculpa. Temos de aproveitar as condições que a Federação Portuguesa de Futebol nos deu e nos prepararmos da melhor forma possível", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.