Susana Vera/Reuters
Susana Vera/Reuters

Milan abre as portas, e Kaká negocia para voltar ao clube italiano

Adriano Galliani diz que 'certos amores nunca morrem', e empresário italiano diz estar cuidando do assunto

AE-AP, Agência Estado

25 de julho de 2012 | 10h05

O vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, abriu as portas do clube para Kaká. Em meio às especulações de que o meia estaria deixando o Real Madrid, o dirigente está mantendo conversações informais com o agente do brasileiro.

E, quanto questionado sobre o possível retorno, Galliani afirmou que "certos amores nunca morrem, apenas saem para um longa jornada e depois retornam".

A namoro foi confirmado pelo empresário italiano Gaetano Paolillo. "Sim, estamos falando sobre ele. Mas não posso dar mais informações no momento", afirmou em entrevista à emissora "Sky Sport Itália".

Apesar de não ser o representante oficial do brasileiro - o pai de Kaká, Bosco Leite, é quem cuida da carreira do filho -, Paolillo é quem está negociando com o Milan.

Na segunda-feira, o técnico José Mourinho teria avisado que contaria com Kaká apenas para ser um reserva de luxo. Fez ainda uma sugestão: que ele fosse atuar no futebol norte-americano. Um dia depois, o brasileiro sequer foi relacionado para um amistoso do Real Madrid, contra o Oviedo. 

Agora, Kaká aguarda se será convocado para novo amistoso, agora contra o Benfica, na sexta-feira. Caso isso não aconteça, o meia vai ficar fora da excursão para os Estados Unidos e praticamente selará sua passagem pelo clube espanhol.

O valor da negociação chegaria aos 10 milhões de euros. E o Real aposta que o Milan terá dinheiro para pagar por Kaká. O clube italiano negociou duas de suas principais estrela, o zagueiro Thiago Silva e o atacante Ibrahimovic, com o Paris Saint-Germain, da França, faturando R$ 164,2 milhões.

Em sua passagem pelo Milan, Kaká comandou a equipe na conquista da Copa dos Campeões da Europa e foi eleito o melhor jogador do mundo em 2007. Em 2009, o meia foi vendido ao Real por 65 milhões de euros, mas não conseguiu repetir as boas atuações e se tornou coadjuvante no time espanhol.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMilanKaká

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.