Milan e Inter são inocentados de falsificação de balanços

Avaliação feita pela Jutiça italiana é que todos os boletins entregues pelos times correspondiam à verdade

Ansa

31 de janeiro de 2008 | 11h43

A juíza de Audiência Preliminar de Milão, Paola Di Lorenzano, declarou inocentes Adriano Galliani, vice-presidente do Milan, Rinaldo Ghelfi, vice-presidente da Inter de Milão, e Mauro Gambaro, ex-dirigente da Inter, acusados pela Procuradoria de Milão de falsificar balanços.Paola também absolveu os dois clubes, que haviam sido acusados com base na lei de responsabilidade administrativa. A investigação, conduzida pelo procurador Carlo Nocerino, analisava supostas falsificações nos balanços relativos aos anos de 2003-2004. Todos os acusados dos clubes envolvidos foram absolvidos, pois "o fato não é verdade"."Evidentemente o balanço correspondia a verdade. A avaliação feita pela juíza é de que os balanços eram genuínos e verdadeiros", explicou o advogado do Milan, Gaetano Pecorella.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.