Milan e Juventus favoritos na Itália

Os cartolas italianos conseguiram tumultuar o início da temporada. Por briga jurídica e esportiva que estourou meses atrás, na Série B do Campeonato Italiano, que por pouco também a elite não foi atingida. O episódio, no entanto, lançou dúvidas em torno da lisura com que são tratados assuntos importantes no calcio.O episódio que alterou a rotina no futebol da Itália teve como pivôs o Catânia, a Justiça de Palermo, a Liga (entidade que representa os clubes), a Federação e o Comitê Olímpico locais. O time siciliano foi rebaixado para a Série C, mas recorreu aos tribunais comuns para recuperar pontos perdidos em empate com o Siena, sob a alegação de que o rival escalou jogador sem condições.Depois de muita insistência, viu seu apelo atendido, mas na forma disfarçada de convite para ficar na Série B. O mesmo artifício foi usado para a permanência de Genoa e Salernitana, além da ?repescagem? da Fiorentina, que deveria jogar a Série C. Com isso, a segunda divisão saltou de 20 para 24 clubes e descontentou a quase todo mundo. A primeira rodada da Copa Itália, marcada para a semana passada, foi suspensa e houve quem pedisse o cancelamento também da Série A.Os grandes clubes, porém, se mantiveram firmes na disposição de entrar em campo, já a partir deste sábado, com a partida entre Reggina e Sampdoria. O time de Reggio Calabria participa com o objetivo de não cair. No torneio anterior, só não desceu porque bateu a Atalanta em dois jogos pelo rebolo. Já o representante genovês, campeão em 1991, volta para a divisão principal depois de vencer a Série B. Mas retorna sem pretensões, no torneio de turno e returno, por pontos ganhos e que tem 18 concorrentes ao scudetto.Os favoritos de sempre são Juventus (campeã nacional) e Milan (campeão europeu). O clube de Turim manteve a base, sob o comando de Marcello Lippi, e ainda reconvocou Athirson. A confirmação de jogadores como Buffon, Nedved, Del Piero, Davids, Trezeguet torna a Velha Senhora forte candidata ao 28º título.O Milan não deixou por menos. A equipe do primeiro-ministro Silvio Berlusconi aposta no talento de Dida, Nesta, Maldini, Seedorf, Inzaghi, Shevchenko.A escolta à dupla é feita por Lazio, Roma e Internazionale. A Lazio tem a base com Peruzzi, Mihajlovic, Stankovic, Fiore e ainda contratou Sérgio Conceição e Albertini. A Roma concentra esperanças no trio Cassano, Totti e Montella. A Inter mudou bem, mas ainda confia em Toldo, Recoba, Vieri e agora tem o argentino Kili Gonzalez e o brasileiro Luciano (ex-Heriberto).Parma, Udinese e Chievo se contentam em repetir campanha anterior (ficaram no bloco principal). Brescia, Perugia, Bologna se satisfazem com posições intermediárias. Empoli, Modena, Ancona, Lecce e o estreante Siena lutarão para não cair.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.