Milan e Lazio disputam Rivaldo

A Itália espera Rivaldo. Lazio e Milan entraram na corrida para contratar o campeão do mundo dispensado domingo pelo Barcelona e aguardam definição rápida. Apesar das dificuldades por que passa o futebol no país, ambos os clubes garantem ter recursos necessários para acordo mínimo de duas temporadas.A Lazio saiu na frente para ter um dos responsáveis pelo título mundial que o Brasil conquistou na Ásia. Segundo o presidente e dono do clube Sergio Cragnotti, a negociação começou semanas atrás e há um documento, válido até dia 31, que garante a seu time prioridade para bater o martelo. ?Rivaldo é jogador importante em nosso projeto?, avisou o empresário. ?Vamos lutar até o fim.?O cartola tratou com desdém aqueles que ironizaram a pretensão da Lazio. Em sua opinião, o destaque que Rivaldo recebe da imprensa, desde o rompimento com o clube catalão, é a prova concreta de seu prestígio. ?Houve quem dissesse que ele estava acabado para o futebol?, recordou. ?Basta ver agora o espaço que lhe é dedicado nos jornais para confirmar que estávamos na pista certa.?A Lazio teria oferecido US$ 13 milhões por dois anos ? o mesmo que o astro recebia no Barcelona. O investidor afirma ter meios de honrar os compromissos que assumir. É bom que tenha mesmo, pois o clube está na mira da Comissão de Vigilância de Sociedades Anônimas, órgão ligado ao Ministério das Finanças da Itália responsável pela fiscalização das empresas. Alerta - O Covisac exige que a Lazio, assim como a rival Roma, apresente até a semana que vem balanço de suas atividades. Além disso, pede que as duas comprovem ter capital suficiente para manter atividades regulares. Se isso não for feito dentro do prazo previsto, os dois times romanos estarão impedidos de disputar a Série A. A pressão oficial não abala Lazio e Roma. Os dirigentes recordam que a cobrança faz parte do ritual de formalidades do governo e avisam que tudo estará regularizado nos próximos dias. Fiorentina, Genoa, Messina, Napoli, Palermo e Verona, todos da Segunda Divisão, enfrentam situação semelhante. Os clubes italianos, em geral, fecharam a temporada 2001-2002 com déficit estimado em US$ 700 milhões.O Milan avisa que passa longe dessa turbulência. O clube dirigido pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi está disposto a atravessar os interesses da Lazio. O vice-presidente Adriano Galliani interrompeu férias na Espanha com a finalidade de reunir-se nesta quarta com representantes de Rivaldo e apresentar-lhes uma oferta. Em linhas gerais, idêntica à dos romanos. ?O pedido de contratação me foi feito por Berlusconi?, justificou o dirigente. ?E, quando ele põe na cabeça que quer um jogador, não há quem consiga demovê-lo. E, em geral, ele alcança o objetivo.? Berlusconi passa por cima dos comentários do técnico Carlo Ancelotti, que não se entusiasmou com Rivaldo por considerar que o Milan tem ?muitos jogadores para o meio-de-campo?.Joelho frágil? - O Barcelona faz pré-temporada em Pregny, na Suíça, e a sombra de Rivaldo incomoda. O técnico Louis Van Gaal, pivô da saída, se nega a falar a respeito do assunto. Em Barcelona, os torcedores protestam com faixas a favor do atleta. Mas uma emissora de rádio local disse que o ?verdadeiro motivo? para a ruptura é o fato de o craque ter três sérios problemas no joelho direito, o mesmo que quase o tira da Copa do Mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.