Milan não aumentará oferta por Luis Fabiano, diz dirigente

O chefe-executivo do Milan, Adriano Galliani, disse nesta terça-feira que não aumentará a oferta de US$ 19,9 milhões pelo atacante brasileiro Luis Fabiano, do Sevilla.

Mark Meadows, Reuters

21 de julho de 2009 | 14h57

Veja também:

especial Mercado: as transferências dos times

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Estamos absolutamente firmes em nossa oferta. O valor indicado pelo Sevilla deve baixar ou o negócio não irá para frente", disse Galliani, cujo clube está mantendo um freio nos gastos apesar de vender o meia Kaká ao Real Madrid por 67 milhões de euros.

Na Juventus, o presidente Giovanni Cobolli Gigli disse que a equipe está interessada no defensor uruguaio Martin Caceres, atualmente no Barça, mas eles devem vender o meia Christian Poulsen primeiro.

"É mais do que rumores mas está tudo ligado a Poulsen e o fato que termos que trazer algum dinheiro", disse Cobolli Gigli a repórteres na sede da Juve.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.