Reuters
Reuters

Milan se despede de Inzaghi e contrata técnico Mihajlovic

Ex-treinador da Sampdoria, de 46 anos, é oficializado

Estadão Conteúdo

16 de junho de 2015 | 08h53

Ídolo da Inter de Milão, Sinisa Mihajlovic é o novo técnico do Milan. O sérvio já tinha seu nome fortemente ligado ao San Siro há pelo menos duas semanas, mas só na manhã desta terça-feira foi oficializado. Mais cedo, o clube publicou comunicado no seu site oficial anunciando a demissão de Filippo Inzaghi.

Mihajlovic e Inzaghi foram contemporâneos como jogadores. O ex-zagueiro sérvio, de 46 anos, se destacou pelo Estrela Vermelha, de Belgrado, e na Itália jogou por Roma, Sampdoria, Lazio e Inter de Milão, tendo encerrado a carreira em 2006, no Giuseppe Meazza. Já o ex-atacante Inzaghi, de 41, passou por Parma, Atalanta e Juventus antes de jogara por 11 anos com a camisa do Milan, até 2012.

A saída de Inzaghi do comando técnico da equipe, uma temporada após ser contratado, entretanto, já era certa. No dia 4 de junho, o clube informou "com grande desprazer" a saída do treinador. Nesta terça, voltou ao tema com mais um comunicado, em que brevemente anunciou a "demissão" do ex-atacante.

Uma hora depois veio o anúncio da contratação de Mihajlovic, também por meio de um comunicado no site oficial do Milan. O clube lembra que ele treinou Bologna, Catania, Fiorentina, Sampdoria e seleção da Sérvia, e que conquistou diversos títulos como jogador, citando conquistas pela Lazio e pelo Estrela Vermelha. Ignorou a passagem dele como atleta e, depois, auxiliar técnico da Inter de Milão, onde começou a carreira.

As especulações sobre a contratação do sérvio alimentaram polêmica na Itália exatamente por essa proximidade de Mihajlovic com a arquirrival Inter de Milão. O Milan tentou minimizar isso lembrando, no comunicado, que o treinador é amigo de ídolos do clube, como Andriy Shevchenko, Filippo Inzaghi e Clarence Seedorf e uma "personalidade do futebol".

Seu último trabalho foi à frente da Sampdoria, clube do qual se desligou ao fim da temporada. Na época, os rumores davam conta de que ele fecharia com o Napoli, que perdeu Rafa Benítez para o Real Madrid. No entanto, o Milan atravessou a negociação. O clube de Silvio Berlusconi queria Carlo Ancelotti, demitido exatamente pelo Real, mas o treinador disse agradeceu o convite, mas disse que precisava descansar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.