Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Milan volta a demonstrar interesse na contratação de Ronaldo

Em crise no Real Madrid, o atacante brasileiro Ronaldo pode retornar para a Itália. Segundo a imprensa européia, o jogador negocia um contrato com os dirigentes do Milan, mesmo tendo recebido propostas do Al-Ittihad, da Arábia Saudita, e do New York Red Bulls, dos Estados Unidos.O representante do atacante, Fabiano Farah, teria viajado a Milão, segundo o diário espanhol AS, para uma reunião com o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani. A intenção é de que Ronaldo continue atuando em uma equipe de grande nome no futebol mundial, já que assim ele continuaria com chances de voltar à seleção.Porém, em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport, Galliani revelou que as chances de contratar o brasileiro são pequenas. "Existem 98% de possibilidade de não comprá-lo. É claro que tudo depende de muitas coisas. Nesse momento, temos de estudar os fatos."Na última semana, o treinador do Real Madrid, o italiano Fábio Capello, havia revelado que não contaria mais com os serviços de Ronaldo no time. O técnico ganhou o apoio da diretoria para promover uma reformulação no elenco - o primeiro a sair foi o astro inglês David Beckham. O atacante italiano Antonio Cassano é outro que deve deixar o clube.Essa não é a primeira vez que o Milan tenta contratar Ronaldo. No início da temporada européia (agosto de 2006), os italianos negociaram com o presidente do Real, Ramon Calderón, a transferência do jogador. No entanto, eles não chegaram a nenhum acordo - o episódio até causou uma crise entre as diretorias, já que os espanhóis aproveitaram a oportunidade para investir em Kaká.No futebol italiano, Ronaldo fez grande sucesso com a camisa da Internazionale, rival do Milan, entre 1997 e 2002.Calderón acusa ex-presidenteCalderón, acusou diretamente Florentino Pérez, que já esteve à frente do clube, de prejudicar a contratação do meia brasileiro Kaká, do Milan, sonho de consumo do dirigente. "Florentino Pérez, que não me apoiou, falou com Silvio Berlusconi (dono do Milan) para que renovasse com Kaká e ele se apressou para garanti-lo", disse Calderón. Para o presidente do Real, a grande amizade entre Pérez e Berlusconi foi o que evitou a chegada de Kaká, sua grande promessa de campanha nas últimas eleições. Já Florentino Pérez, que dirigiu o Real entre 2000 e 2006, rebateu as acusações de Calderón. "É absolutamente falso que tenha falado com Silvio Berlusconi sobre a contratação de Kaká ou de outro jogador. Pensar que eu tenha tomado essa atitude, é um tanto infantil", disse o ex-mandatário da equipe espanhola.Matéria atualizada às 17h50

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.