Milene diz que Ronald passa bem em Madri

A meia Milene Domingues, que está treinando com a seleção brasileira feminina, em Teresópolis, disse nesta quinta-feira ter ficado assustada com o atentado terrorista ocorrido em Madri. A atleta ressaltou que considera o fato isolado e que por ter acontecido longe de sua casa nem chegou a modificar a rotina de seu filho Ronald, de 3 anos, que está na cidade e inclusive foi à escola. ?Sou leiga tanto em História do Brasil quanto na Espanhola, mas sei que este fato é um episódio político, não é um atentado terrorista da mesma natureza daqueles que acontecem nos Estados Unidos?, afirmou. ?Acho que quando passar as eleições isso tudo vai acabar?.Milene contou que soube da notícia por uma mensagem recebida hoje pela manhã em seu celular, enviada por uma amiga italiana e que não sabia que ela estava no Brasil. Milene ligou para sua casa em Madri e conversou com sua babá Fabíola Matos, que a tranqüilizou. ?Moramos muito longe do local do atentado e também sabia que ninguém da minha família poderia estar em um dos trens?.Os atentados a bomba ocorridos hoje em Madri causaram a morte de 173 pessoas e deixaram mais de 900 feridos.

Agencia Estado,

11 de março de 2004 | 11h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.