Divulgação
Divulgação

Milito se despede com festa da torcida do Racing e Argentinos Juniors é rebaixado

Atacante é ovacionado por quase 50 mil pessoas no El Cilindro

Estadão Conteúdo

21 de maio de 2016 | 22h48

Em um dia histórico para o futebol argentino, os torcedores do Racing se despediram do ídolo Diego Milito com uma festa inesquecível no Estádio El Cilindro, lotado por quase 50 mil pessoas, neste sábado, na vitória por 2 a 0 sobre o Temperley, com um gol de pênalti do atacante.

Em seu último jogo no estádio do Racing, Milito, de 36 anos e que foi pai na madrugada deste sábado, viu a torcida do clube fazer uma festa impressionante, que continuou após o jogo, com a entrega de uma placa e cartão de sócio honorário pelos dirigentes, além de uma volta olímpica do atacante.

"Eu vou como eu quero, na minha casa e com o meu povo. Foi muito difícil para mim jogar este jogo, não tenho palavras para agradecer. Gostaria de abraçar a todos. Voltar era um sonho que eu pude cumprir. Estou em paz porque parei a camisa que eu amo", disse Milito que converteu um pênalti aos 17 minutos do primeiro tempo e perdeu outro aos 19 - no rebote, Oscar Romero fez 2 a 0.

Milito também defendeu Zaragoza, Genoa e Internazionale na sua carreira, sendo o herói da conquista do título da Liga dos Campeões da Europa de 2010 pelo clube de Milão. Ele também disputou a Copa do Mundo de 2010 e as edições de 2007 e de 2011 da Copa América pela Argentina.

Também neste sábado, em uma definição dramática, o Sarmiento de Junín derrotou o Olimpo por 1 a 0, resultado que provocou o rebaixamento do Argentinos Juniors, que superou o Atlético Rafaela por 2 a 0 - o time dependia de um tropeço do Sarmiento para não cair.

Clube tradicional de Buenos Aires e responsável pela formação de craques como Diego Armando Maradona, Claudio Borghi, Fernando Redondo, Esteban Cambiasso e Juan Roman Riquelme, o Argentino Juniors foi rebaixado pela quinta vez em sua história. O clube possui três títulos nacionais e também venceu a Copa Libertadores em 1985.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.