Milton Mendes comemora vitória, mas diz que chuva atrapalhou o Vasco

Apesar do triunfo, partida não agradou aos tocedores

Estadao Conteudo

31 de março de 2017 | 10h34

O Vasco venceu o Boavista na noite desta quinta-feira, mas não convenceu sua torcida. O placar de 1 a 0 esteve aquém das possibilidades da equipe e da expectativa das arquibancadas de São Januário. Para o técnico Milton Mendes, a chuva que alagou o gramado acabou atrapalhando o rendimento de sua equipe.

"Nós iniciamos a nossa forma de jogar em um 4-1-4-1. O que eu imaginei caiu do céu antes do jogo, o que eu queria era toque de bola, velocidade. A chuva dificultou tudo o nosso plano de jogo. Desmontou tudo o que eu pretendia", comentou o treinador, que reconheceu o baixo nível técnico da partida.

"Não foi um grande jogo. Procurei mexer o menos possível. Foi um jogo muito difícil, com o campo muito molhado. Dificultou nosso jogo. Perigo de gol mesmo contra nós só no último lance mesmo. Felizmente fizemos um gol e garantimos a vitória", declarou Milton Mendes. A forte que caiu no Rio de Janeiro chegou a atrasar em cerca de 15 minutos o início da partida em São Januário.

Mesmo insatisfeito com as condições climáticas e com a atuação da sua equipe, o treinador valorizou a vitória. "Esse resultado valeu muito para nós. Eles nos trouxe mais confiança e tranquilidade para encararmos o último jogo. Estamos muito próximos de alcançar o primeiro objetivo que traçamos junto com jogadores, direção e membros da comissão técnica", disse o técnico.

O triunfo fez o time vascaíno chegar aos nove pontos e assumir a vice-liderança do Grupo C da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca, voltando a figurar na zona de classificação às semifinais. A equipe ultrapassou o Volta Redonda (que na quarta empatou com o Flamengo) e a Portuguesa (que na quinta foi goleado pelo Botafogo), que estão com sete pontos cada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.