Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Mineradora de diamante da Rússia vira nova patrocinadora da Fifa

Entidade começa a se recuperar depois de ser atingida por uma investigação de corrupção envolvendo seus cartolas

Estadão Conteúdo

23 Abril 2018 | 14h06

Faltando menos de dois meses para o início da Copa do Mundo da Rússia, a Fifa anunciou nesta segunda-feira mais um patrocinador. Trata-se da Alrosa, mineradora de diamantes da Rússia, considerada a maior do mundo em volume de produção. Parte da empresa é controlada pelo governo russo.

+ 'Nível está muito baixo e os árbitros não têm personalidade', opina Arnaldo Cezar Coelho

+ Cafu elogia seleção às vésperas da Copa: 'Brasil depende menos de Neymar'

Nem a Fifa e nem a mineradora revelaram as cifras envolvidas no acordo. Pelo acerto, a empresa vai anunciar sua marca durante os jogos da Copa do Mundo da Rússia. "Com a Copa do Mundo ali na esquina, estamos felizes em contar com um forte apoiador como a Alrosa", disse Philippe Le Floc'h, chefe do departamento comercial da Fifa.

  Com o anúncio, a mineradora se junta às empresas Alfa-Bank, Rostelecom e Russian Railways como patrocinadores em nível regional, categoria criada pela Fifa neste ano. Elas fecham, assim, as quatro "vagas" disponíveis para a Europa nesta categoria de patrocínio. As demais regiões - América do Norte e Central, América do Sul, África e Oriente Médio e Ásia - continuam vazios, sendo quatro cotas para cada região, totalizando 16.

Pelas definições do departamento comercial da Fifa, há ainda dois níveis acima na divisão dos seus apoiadores, sendo a principal os "parceiros" da entidade. Logo abaixo vem os patrocinadores da Copa do Mundo.

A Fifa vem fechando acordos de patrocínios com empresas da Rússia, China e Catar desde que foi atingida por uma investigação de corrupção iniciada por autoridades da Suíça e dos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.