'Minha frustração é zero. Meu foco é o São Paulo', diz Ganso

Meia do São Paulo garante que não se abalou com sua ausência na lista de convocados para a seleção brasileira

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2014 | 08h00

Paulo Henrique Ganso jura que não há frustração por não ter sido convocado para a seleção brasileira. O meia diz que o mais importante é o seu clube, o São Paulo, e o jogo de hoje, contra o Inter, no Beira-Rio. Preocupado em buscar sua terceira vitória seguida no Campeonato Brasileiro, ele conseguiu ver algo positivo no fato de ter sido preterido juntamente com Alan Kardec, outro que tinha esperanças de ser chamado.

“O importante é pensar no São Paulo. Ficamos com todos aqui e não vamos perder ninguém por duas rodadas mais ou menos. Isso é importante”, afirmou o jogador, ontem pela manhã. “A minha é frustração é zero. Estou com o pensamento voltado para o São Paulo”, afirmou Ganso.

Corinthians e Cruzeiro, equipes que estão à frente do São Paulo na tabela, cederam dois jogadores cada um para a seleção e, na opinião de Ganso, podem ter problemas. “Foram convocados jogadores importantes e espero que eles percam pontos para que possamos nos aproximar”, avalia.O jogador, no entanto, não soube responder se ele se convocaria neste momento. “É difícil dizer isso, mas acho que vou ter minha oportunidade naturalmente”, afirma.

A preocupação de Ganso com o entrosamento se justifica com a posição da equipe na tabela. O São Paulo está em quinto lugar, com 26 pontos, e hoje enfrenta o segundo colocado, cinco pontos à frente. Na opinião do jogador, essa distância é o reflexo direto dos tropeços do time em casa, como a derrota para a Chapecoense e o empate contra o Criciúma.

O discurso motivacional esbarra nas dificuldade prática de escalar a equipe. Entre contusões, suspensões e convocações para diversas categorias da seleção brasileira, o São Paulo tem oito desfalques. Os mais importantes são o zagueiro Antonio Carlos, o volante Souza e o meia Maicon.

Para contornar o problema, Muricy convocou Michel Bastos, que ainda não está em perfeitas condições físicas, mas será opção no banco. O titular deve ser Hudson, contratado do Botafogo e que fez apenas cinco partidas pelo São Paulo.

Apesar dos remendos, a equipe tem bons argumentos para tentar vencer. O primeiro deles é o retrospecto contra os grandes no torneio. Apesar dos tropeços contra os miúdos, venceu Palmeiras, Atlético Mineiro, Grêmio e Flamengo.

Outro alento é o quarteto ofensivo formado por Kaká, Pato, o próprio Ganso e Kardec. “O Kaká é muito inteligente e divide a armação das jogadas”. Por fim, Ganso aposta em seu próprio taco. “Temos grandes jogadores, mas o São Paulo perde um pouco nas assistências quando não estou em campo”.

SUSPENSE

Apesar de ter vencido os últimos cinco jogos, o técnico Abel Braga escondeu a escalação do Inter. A principal dúvida recai sobre o substituto do volante Wellington, emprestado pelo próprio São Paulo e que, por causa de uma cláusula contratual, não poderá atuar. Jorge Henrique e Alan Patrick disputam a vaga.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolSão PauloFCGansoBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.