Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Ministério decidirá pela paralisação da Arena Corinthians após relatório

Superintendente do Ministério do Trabalho e Emprego sabe que o Itaquerão tem problemas, admite multas, mas não mostra necessidade de interdição

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

15 de maio de 2014 | 13h53

SÃO PAULO - Após verificar na manhã desta quinta-feira irregularidades de segurança com operários que trabalhavam na montagem das arquibancadas provisórias nos setores norte e sul da Arena Corinthians, e ameaçar pedir a interdição das obras do estádio, procuradores do Ministério Público do Trabalho vão encaminhar o relatório da inspeção ao Ministério do Trabalho e Emprego de São Paulo, órgão responsável por decidir se vai ou não paralisar os trabalhos no Itaquerão.

Técnicos do Ministério do Trabalho e Emprego se comprometeram a verificar o pedido de seus colegas do MP. De antemão, no entanto, o superintendente do Ministério do Trabalho e Emprego em São Paulo, Luiz Antônio Medeiros, adiantou ao Estado que não vê motivos para paralisar a obra. "Semanalmente, nós também fazemos inspeções na Arena Corinthians. Constatamos algumas irregularidades, é verdade, e até multamos as empresas responsáveis, mas nesse momento acreditamos não haver motivos para a interdição do estádio porque não vimos nada que coloque em risco a vida dos trabalhadores", explicou Medeiros, baseando-se nas informações de sua última vistoria.

Em março, após a morte do operário Fábio Hamilton da Cruz, de 23 anos, que caiu de uma altura de aproximadamente oito metros enquanto instalava placas nas arquibancadas provisórias, o local foi interditado. A instalação das estruturas só foi liberada depois que uma lista de exigências de itens de segurança foi realizada. A partir de então, o Ministério do Trabalho e Emprego intensificou as vistorias no Itaquerão.

HÁ IRREGULARIDADES

"Ainda precisamos ver o que os procuradores do Ministério Público vão apresentar, mas, com base nas nossas visitas, o entendimento é que a obra na Arena Corinthians não precisa ser interrompida. Assim como em muitas obras no Brasil, a construção dessa arena tem irregularidades, mas já cobramos que as mudanças fossem feitas e aplicamos multas. Acredito que não será necessária a interdição nesse momento", disse Medeiros.

Após a morte de Fábio Hamilton da Cruz, o Ministério do Trabalho e Emprego exigiu, por exemplo, que fossem instaladas redes de proteção a fim de amortecer possíveis novas quedas de operários. Também foram colocadas nas arquibancadas provisórias grades nas extremidades da obra e ampliadas as opções de cintos de segurança.

TESTE

No domingo, será realizado o último evento-teste no Itaquerão antes da entrega do estádio para a Fifa. O Corinthians enfrenta o Figueirense, pela 5ª. rodada do Campeonato Brasileiro. O estádio será palco da abertura do Mundial, no dia 12 de junho, e receberá mais cinco partidas do torneio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.