Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Ministério do Esporte deve propor redução em preços de ingressos do futebol

Órgão governamental afirma que intenção é evitar 'elitização' nas novas arenas

Mateus Andrighetto Tamiozzo, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2013 | 19h32

SÃO PAULO - Os valores cobrados em estádios brasileiros para competições nacionais estarão em discussão nesta quinta-feira em Brasília. O Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, terá encontro com dirigentes dos clubes de futebol, administradores dos novos estádios e representantes de Secretarias Estaduais de Esporte e Lazer, das Secopas e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Por meio de sua assessoria de comunicação, o Ministério do Esporte afirmou ao Estado que o encontro é uma "conversa preliminar" apenas sobre os valores cobrados em ingressos, principalmente nos novos estádios brasileiros.

O órgão do governo federal deverá propor redução de valores nas entradas para não "elitizar a presença de torcedores nos estádios". Não está descartada a possibilidade de debate sobre os valores praticados em estádios que não passaram por reformas. Em outras oportunidades, Aldo Rebelo já defendeu preços mais baixos para competições nacionais, como Brasileirão e Copa do Brasil. Embora a CBF seja uma das convidadas a comparecer à reunião em Brasília, a entidade informou nesta quarta que não intervém nos valores de ingressos e destacou que a decisão é de responsabilidade de clubes e consórcios dos novos estádios.

O diretor de comunicação do Cruzeiro, Guilherme Mendes, disse que o clube não pretende reduzir os valores dos ingressos cobrados nas partidas do Cruzeiro do Mineirão. "O ministério deveria se preocupar com o lado dos times também". Segundo Mendes, os investimentos que o Cruzeiro fez para montar a equipe deste ano não permitem mudanças nos preços cobrados do torcedor. Ele citou ainda a ausência de verbas do ministério e da Minas Arena, concessionária que administra o Mineirão,  para o clube. A Minas Arena, que detém área VIP e camarotes do Mineirão, afirmou, por meio da assessoria de comunicação, que pode cobrar ingressos 20% mais caros nesses espaços a partir do valor mais alto praticado pelo Cruzeiro.

Hoje, o clube mineiro, líder do Campeonato Brasileiro, cobra cerca de R$ 160 pelo acesso mais caro. Um contrato firmado entre a empresa e o próprio clube garante à Minas Arena fazer uso dos sete mil espaços mais nobres do Mineirão por 25 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.