Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo

Ministério Público de São Paulo denuncia Gabriel, do Flamengo, por crime contra a saúde pública

MP pede o pagamento de 100 salários mínimos (R$ 103.900,00) ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD)

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2021 | 21h28

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) denunciou Gabriel Barbosa, atacante do Flamengo, por crime contra a saúde pública por ter participado na madrugada do domingo passado de aglomeração com outras 150 pessoas em um cassino clandestino na zona sul da capital. 

O MP-SP pede o pagamento de 100 salários mínimos (R$ 110.000,00) ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD) pela infração penal. Gabriel e outras 57 pessoas serão processadas pelo crime previsto no artigo 268 do Código Penal, por desrespeitar medida do poder público para evitar a propagação de doença contagiosa.

O gerente do cassino e os funcionários vão responder também por realizarem jogos de azar, que é uma contravenção penal. Gabriel foi flagrado em um cassino, na Vila Olímpia, em uma operação de força-tarefa contra aglomerações durante a pandemia. Cerca de 200 pessoas estavam no local, entre elas o cantor de funk MC Gui. A polícia chegou ao endereço após denúncia.

A operação contou com uma força-tarefa com agentes da Vigilância Sanitária, Procon-SP, Corpo de Bombeiros e apoio das Polícias Militar, Civil e da Guarda Civil Metropolitana. Durante o dia, o local funcionava como funilaria e estacionamento. O Governo do Estado criou um comitê de blitz em conjunto com a Prefeitura de São Paulo para reforçar o trabalho de fiscalização e o cumprimento das restrições previstas na capital. O objetivo é coibir festas clandestinas e aglomerações em estabelecimentos comerciais irregulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.