Antonio Lacerda/EFE
Antonio Lacerda/EFE

Ministério Público vai pedir interdição do estádio São Januário

Um torcedor morreu e outros quatro ficaram feridos em quebra-quebra depois do clássico entre Vasco e Flamengo

O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2017 | 16h45

O Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro vai pedir nesta segunda-feira a interdição do estádio de São Januário, onde o torcedor vascaíno Davi Rocha Lopes, de 27 anos, morreu após ser baleado no peito e outros quatro torcedores ficaram feridos na noite de sábado, durante um confronto após o clássico entre Vasco e Flamengo pelo Campeonato Brasileiro.

De acordo com o promotor Rodrigo Terra, o Vasco não atendeu a uma solicitação feita no início do ano pelo MP, que pedia um plano de ação e de segurança para a realização dos jogos no estádio.

"Vamos pedir a interdição do estádio São Januário e, apenas a partir do momento que seja apresentada e aprovada a estratégia de realização de grandes eventos no local, é que será liberada a utilização", disse Terra, ao Sportv.

O promotor ainda criticou o presidente do Vasco, Eurico Miranda, que pediu desculpas em nome do clube pelo incidente e alegou que a equipe tinha tomado todas as providências necessárias para a realização do jogo.

"O que vimos é uma falha no cumprimento do dever de segurança por parte dos organizadores do evento. Ele (Eurico) pede desculpas, mas diz não ter culpa. Não consigo captar a mensagem", criticou Terra.

Tudo o que sabemos sobre:
Vascofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.