Ministro dá prazo para aplicar MP

O ministro do Esporte e Turismo Caio Luiz de Carvalho afirmou nesta quinta-feira que a tendência é de que o mês de agosto seja o prazo final para os clubes brasileiros se adaptarem à Medida Provisória editada em maio pelo governo federal, sem sofrerem qualquer tipo de sanção.O principal item do documento é o que determina os clubes se transformarem em empresas ou constituírem uma comercial para gerenciarem seus negócios. "Por parte do governo, a Medida Provisória está em vigor e a partir de agosto os clubes vão estar sujeitos às sanções dos órgãos governamentais. Isso não é uma ameaça, mas um alerta", disse o ministro, que participou do 2º Fórum nacional de Instituições de Ensino Superior em educação Física, na tarde desta quinta-feira no Hotel Glória, zona sul. "Não estamos intervindo nos clubes. É verdade que eles não usam dinheiro público mas pagam impostos e são patrimônios sócio-culturais brasileiros."Ainda de acordo com o texto da MP, os dirigentes dos clubes passaram a ter responsabilidade fiscal e criminal sobre os recursos que gerirem. A confecção de balanços patrimoniais também passou a ser obrigatório, além da necessidade da contratação de um auditor fiscal registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O Ministério Público a Receita Federal e o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) são exemplos de órgãos governamentais encarregados de aplicar sanções aos clubes.Depois do Congresso de Educação Física, à tarde na sede da Embratur, no centro, o ministro do Esporte e Turismo se encontrou com os presidentes do Botafogo, Paulo Ney Palmeiro, em exercício do Flamengo, Gilberto Cardoso Filho, e do Fluminense, David Fischel. Na saída da reunião, os dirigentes cariocas se mostraram pouco otimistas quanto à adequação dos clubes no tempo desejado por Carvalho. E, com exceção do tricolor, os demais asseguraram que não possuem condições de se tornarem empresas "tão cedo". "Um clube não pode ser obrigado a se tornar empresa, e isto eu sou contra", enfatizou o presidente em exercício do Flamengo. "Mostrei ao ministro, as dificuldades dos clubes brasileiros com a legislação em vigor. Se isso persistir, vou propor o fechamento de várias escolas olímpicas, como o basquete, o vôlei e a natação".Cariocas - Os dirigentes cariocas se comprometeram em enviar ao ministro do esporte, um relatório com suas propostas para a melhoria do futebol. A Medida Provisória precisa ser votada até outubro, época em que expira contrato de validade, pelo Congresso Nacional."Tem dirigente que está apostando em algo que não vai acontecer. A medida vai ser aprovada no Congresso", frisou carvalho, que revelou ter se encontrado e recebido o apoio dos presidentes da Federação Paulista de Futebol, Eduardo José Farah, do presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, e do Palmeiras, Mustafá Contursi. "Sei que a dívida dos clubes é enorme. Se eles nos procurarem, vamos tentar arrumar um meio de solucioná-las."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.