EFE
EFE

Ministro José Eduardo Cardozo se reúne na Bolívia por corintianos

Ele questiona a situação em que se encontram os 12 torcedores presos há quase dois meses

AE, Agência Estado

17 de abril de 2013 | 20h41

SUCRE - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, se reuniu com autoridades do governo boliviano nesta quarta-feira e questionou a situação em que se encontram os 12 corintianos presos em Oruro há quase dois meses. O encontro aconteceu na cidade de Sucre, sede do poder Judiciário, com o procurador-geral da Bolívia, Ramiro Guerrero.

Cardozo também se reuniria com o ministro do Interior, Carlos Romero, em La Paz, sede do Governo. "Temos um profundo respeito pela justiça boliviana e queremos colaborar para que possamos ter uma justiça com respeito às decisões do Poder Judiciário Boliviano", disse Cardozo depois de se reunir com Guerrero, segundo a rádio católica Fides.

A embaixada brasileira na Bolívia havia dito que desconhecia a chegada de Cardozo ao país, mas depois confirmou as reuniões que o ministro teria por lá O Brasil negocia com parlamentares e o governo boliviano pela liberdade dos 12 torcedores presos pelo suposto envolvimento na morte do garoto boliviano Kevin Beltrán Espada, de 14 anos, dia 20 de fevereiro.

O governo brasileiro considera que os 12 corintianos são inocentes, mas os ministério público boliviano impôs um prazo até o meio do ano para concluir as investigações. "O Ministério Público levará adiante uma investigação pronta e objetiva. Queremos que não haja mais demora e se esclareçam os fatos para encontrar os verdadeiros responsáveis", disse Ramiro Guerrero.

O fiscal que está cuidando da investigação na Bolívia vai viajar ao Brasil para ouvir depoimento do menor brasileiro que admitiu ter sido o autor do disparo do sinalizador que atingiu Kevin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.