FIFA TV
FIFA TV

Miranda: 'Jogador me dá um empurrão, mas não estou aqui para julgar'

Zagueiro confirma falta de Zuber na jogada do gol de empate da Suíça diante do Brasil

Ciro Campos, enviado especial / Rostov, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2018 | 20h31

O zagueiro Miranda afirmou neste domingo ter sofrido falta no lance de gol do empate da Suíça, marcado por Zuber, no jogo em que terminou 1 a 1 em Rostov. O defensor da seleção brasileira explicou na zona mista, depois da estreia na Copa do Mundo, que foi deslocado no lance e lamentou que vitória no primeiro jogo tenha escapado devido uma disputa polêmica de bola.

+ Caçado, Neymar sente dores no pé operado, mas diz que 'está inteiro'

+ Tite vê falta clara em Miranda, mas não quer jogadores reclamando

+ 'Se tinha algum momento para tropeçar, era agora', afirma Alisson

+ Empate na estreia não diminui otimismo da torcida em evento com 12 mil em SP

"O jogador adversário me dá um empurrão quando a bola está para chegar. Não estou aqui para julgar nem para falar nada. Estou aqui para ser forte e buscar uma vitória diante da Costa Rica", disse o defensor, que, na zona mista, não repetiu o que havia dito na saída do campo. Ao ser questionado no gramado, Miranda afirmou que "talvez se eu tivesse me jogado, ele assinalaria o empurrão". A afirmação foi repreendida por Tite em sua coletiva. 

Miranda afirmou que não gostaria de se prolongar nas críticas ao árbitro e disse que caberia ao técnico Tite fazer os comentários sobre o lance. A finalização de Zuber foi apenas uma das duas que a Suíça acertou na direção do gol brasileiro. A outra também foi no segundo tempo, em finalização defendida por Alisson. A seleção, por sua vez, acertou o gol de Sommer quatro vezes.

 

O zagueiro admitiu que o bom futebol demonstrado pelo Brasil nos últimos anos fez o elenco se sentir ansioso, o que pode ter atrapalhado na estreia. "A gente criou uma expectativa muito grande nas pessoas, e em nós mesmos também. Mas no próximo jogo temos que buscar os três pontos. Seguramente, vamos fazer uma grande partida", comentou Miranda.

A seleção retorna para Sochi, onde faz a preparação, e terá dias mais tensos até a segunda partida da Copa. "Pressão sempre vai existir, ainda mais na seleção brasileira. Sabemos da responsabilidade que temos de tentar reagir', afirmou o jogador.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.