Miranda minimiza reclamação de Borges no São Paulo

Um dos líderes do elenco são-paulino, o zagueiro Miranda fez questão de minimizaras declarações do atacante Borges, que reclamou da reserva, após o primeiro jogo das quartas de final da Copa Libertadores contra o Cruzeiro.

AE, Agencia Estado

29 de maio de 2009 | 20h48

"Todo jogador tem de estar incomodado por não jogar, não pode estar satisfeito. Tem de brigar pelo seu espaço nos treinos, quando entra. O Borges não quis criar problema. Ele estava brigando pelo seu espaço?, disse o zagueiro.

Segundo Miranda, o grupo são-paulino não ficou chateado com Borges. "Em momento algum ele apontou um jogador ou outro. Entre nós não há nenhum problema. Só queremos o São Paulo forte", explicou o zagueiro, que foi convocado para a seleção brasileira e passará o mês de junho longe do São Paulo.

E foi justamente por pensar em um time mais forte que o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, cobrou os jogadores - na visão de Miranda, tudo aconteceu dentro do previsto. "Até porque é o presidente, é quem manda", afirmou o zagueiro. "Cabe respeitar e dar a resposta jogando, até para ele não fazer mais esse tipo de cobrança. Ele está no direito dele. Mas a tendência da equipe agora é crescer."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.