Miranda tem a receita para seleção brasileira neutralizar Messi

Zagueiro do Atlético de Madrid enfrentou o astro muito nos últimos três anos e vai passar para os companheiros e segredo do sucesso 

Raphael Ramos - Enviado Especial a Pequim, O Estado de S. Paulo

07 de outubro de 2014 | 07h08

Poucos jogadores da seleção brasileira conhecem Messi tão bemcomo Miranda. Nos últimos três anos, o zagueiro do Atlético de Madrid jáenfrentou o astro da Argentina em jogos do Campeonato Espanhol, Supercopa daEspanha e Liga dos Campeões. E levou a melhor em várias oportunidades. Porisso, ele dá receita de que como a defesa brasileira terá de se comportar nosábado, em Pequim, diante da Argentina, no Superclássico das Américas.

"Tem de estar atento do primeiro ao último minuto.O Messi é um jogador decisivo e qualquer minuto que você deixe de ter cuidadopode ter decisivo porque ele obriga o defensor a estar atento o jogo inteiro",disse o ex-são-paulino nesta terça-feira, em Pequim.

Após ser convocado algumas vezes por Felipão, mas ficar defora da Copa do Mundo, o zagueiro foi titular nos dois primeiros jogos sob ocomando de Dunga, contra Equador e Colômbia, mês passado, e considerafundamental vencer a Argentina. "A seleção tem de recuperar a autoestima e issosó acontece vencendo as grandes seleções. Vamos enfrentar a seleçãovice-campeão do mundo, um grande adversário, que vai exigir muito dos nossosjogadores. Mas todos que estão aqui estão preparados para enfrentar esse tipode jogo e vamos procurar buscar a vitória", disse.

Miranda, no entanto, reconhece, que a Argentina chega aoSuperclássico como favorita. "A seleção brasileira está em processo derenovação e a Argentina continua com os mesmos jogadores. É uma seleçãopraticamente formada."

Dunga ainda não definiu os titulares, mas Miranda deve formardupla de zaga com David Luiz – os dois já jogaram juntos contra a Colômbia. Trêsdias depois de enfrentar a Argentina, a seleção faz amistoso contra o Japão, emCingapura.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolseleção brasileiraMiranda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.