Peter Cziborra/Reuters
Peter Cziborra/Reuters

Mistério é parte da estratégia de Tite para bater o Uruguai

Seleção brasileira encara rival sul-americano nesta sexta-feira, às 18h de Brasília, em Londres

O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2018 | 05h00

Tite está mesmo mudado em alguns aspectos. Um deles é não mais divulgar a escalação da seleção brasileira na véspera das partidas, como fazia até recentemente. Nesta quinta-feira, ele “escondeu o jogo” e não revelou o time que enfrenta o Uruguai nesta sexta, às 18h (de Brasília), no Emirates Stadium, em Londres, no penúltimo compromisso da equipe na temporada. O treinador deu como justificativa as mudanças no time, mas admitiu que o nível do adversário também pesou – tomou a mesma atitude no amistoso com a Argentina, no mês passado.

“Não vou enrolar. É o momento em que há uma série de modificações, e você acaba oscilando dentro do jogo, porque se mexe muito. Diferente de uma equipe que vinha sendo repetida. Se joga Arthur, Paulinho ou Renato, são características diferentes”, disse Tite. Mas acrescentou: “Não vou facilitar e quero potencializar o que pode ser surpresa para a outra equipe”.

O treinador, no entanto, confirmou que Walace, do Hannover, da Alemanha, será titular no meio de campo na vaga de Casemiro, cortado por lesão. “Casemiro não vai, então o Walace vai jogar. É um jogador da função e foi convocado para isso.”

Tite vai mandar a campo uma equipe forte, composta em sua maioria por jogadores que estiveram na Copa do Mundo da Rússia. Exemplo disso é que na vaga do contundido Philippe Coutinho vai optar por Paulinho ou Renato Augusto. Experiências mais profundas devem ficar para o amistoso de terça-feira, com Camarões.

Capitão da seleção, Neymar levou o filho, David Lucca, para a coletiva de quinta. Rindo, revelou que o menino de sete anos pediu a Richarlison que, se fizer gol, comemore com a dança do pombo. Depois, afirmou que, no geral, apesar das lesões, teve um ano positivo, de muito aprendizado, e disse estar feliz por ser o principal líder da seleção no momento.

“Espero ajudar o nosso grupo de alguma forma porque é uma seleção brasileira, um time, uma nação. A gente espera passar, além de ser vitorioso, boas coisas”, disse o craque do Paris Saint-Germain.

Neymar e a seleção terão como maior objetivo no próximo ano a disputa, e se possível a conquista, da Copa América, que será realizada no Brasil. “Espero que 2019 seja um bom ano, de alegrias”, afirmou.

FICHA TÉCNICA

Brasil: Alisson; Danilo, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Walace, Arthur e Renato Augusto (Paulinho); Douglas Costa, Firmino (Gabriel Jesus) e Neymar. Técnico: Tite.

Uruguai: Campana; Cáceres, Velásquez, Méndez e Laxalt; Pereiro, Bentancur, Torreira e Arrascaeta; Luis Suárez e Cavani. Técnico: Óscar Tabárez.  

Juiz: Craig Pawson (ING). 

Local: Emirates Stadium, em Londres.

Horário: 18h.

Na TV: Globo e SporTV.

Ao vivo: estadao.com.br/e/selecaobrasil

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.