Flavia Guerra/AE
Flavia Guerra/AE

Mobilizada e 'vestida de vermelho', Londres se desaponta com derrota

Inglaterra leva 4 a 1 da Alemanha e deixa Copa do Mundo da África do Sul na fase oitavas de final

FLAVIA GUERRA, O Estado de S. Paulo

27 de junho de 2010 | 14h52

Londres se pintou de vermelho e branco neste domingo ensolarado para torcer pela Inglaterra no embate contra a Alemanha. Pubs decorados com bandeirinhas, caras-pintadas, turistas comprando a camisa dos Red. "É um clássico das Copas! Nunca vi a cidade tão mobilizada. E isso de que só o Brasil para em dia de jogo é mentira. Durante toda a primeira fase, no meu escritório, todo mundo era dispensado e ia para casa na hora dos jogos ingleses", 'denunciava' um arquiteto português que mora, e trabalha, na capital inglesa.

 

Veja também:

link Alemanha faz 4 a 1 na Inglaterra e avança

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador

 

Nem 33 minutos do primeiro tempo o placar já marcava 2 a 0 para a Alemanha e o comentador da BBC decretava: "A copa para os Red está terminando…"

 

E a torcida do Ten Bells, o pub onde Jack Estripador costumava caçar suas vitimas no leste de Londres, já concordava e se irritava com a falta de defesa de sua seleção. "É um absurdo. Não temos defesa nenhuma! E não estamos atacando o quanto devíamos", comenta o torcedor Richard. Natural de Southwark, de cara pintada e camisão da seleção inglesa, ele e os cerca de 500 torcedores que lotaram (e fecharam) a Brick Lane Street, voltaram a acreditar em uma virada. Afinal, aos 37, Gerrard levantou na área e Upson desviou de cabeça e marcou. Mas o juiz anulou e gritaria foi unânime: "Não é possível! Isso só pode ser vingança do gol de 66 que a Alemanha marcou e não levou", brincou o 'broker' da bolsa de valores que assistia, também uniformizado, ao jogo.

 

Não adiantou reclamar. "Isso é terrível e merecemos perder. Mesmo que aquele gol tivesse sido marcado, levaríamos outros dois mesmo. A Inglaterra jogou como se nunca tivesse jogado feito um time", resmungava Matt, sentado no meio da Hunbury Street poucos minutos depois do fim do jogo.

 

"A gente está triste não porque perdemos. Afinal, alguma hora alguém tem de perder, mas porque nunca jogamos como um time nesta Copa. Falta coração, paixão e união ao time inglês", bradava Richard ao Estado. O torcedor alemão concordava sobre a opinião de Richard, mas não sobre o resultado: "Diga ao Mick Jagger (que estava assistindo ao jogo 'em campo'): 'No, you can't always get what you want' (Não, você não pode ter sempre o que quer, em ironia à canção dos Roling Stones). E, cuidado brasileiros, vocês serão os próximos!"

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.