Divulgação/Teqball
Divulgação/Teqball

Modalidade conhecida como futmesa tem plano de expansão para virar liga

Organizadores querem criar competição brasileira, enquanto na Europa já foram realizados dois Mundiais

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2019 | 04h30

O futmesa também está crescendo como modalidade competitiva. Há o plano de se criar neste ano uma liga brasileira, enquanto que na Europa já existe uma versão do esporte conhecida como teqball, com federação internacional registrada e dois mundiais já realizados.

O teqball foi criado na Hungria e tem como principal diferença para o futmesa ter a superfície da mesa levemente curvada para baixo. "Há um grande investimento por trás do esporte, pois a pretensão é tornar o teqball um esporte olímpico em um futuro não tão distante", disse o diretor da Teqball no Brasil, Antonio Canto. O ex-meia Ronaldinho Gaúcho é um dos embaixadores da modalidade.

O último campeonato mundial, ano passado, foi disputado na França e teve a presença de 42 países. O Brasil ficou em terceiro lugar nas duplas mistas. O teqball tem praticantes em mais de 50 países e fornece o equipamento para times como Arsenal, Chelsea, Flamengo, Manchester United, Shakhtar Donetsk e Milan.

No mercado nacional, a Futmesa Brasil é quem tem sido a principal fornecedora dos clubes. A empresa vai organizar na próxima semana um evento para divulgar a modalidade. "Levamos dois anos para desenvolver um modelo ideal da mesa. O público comum, que não é nem jogador profissional nem clube, compõe cerca de 40% dos nossos clientes", disse o sócio-proprietário Flavio Deleo.   

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Are you ready to challenge me in @teqball? #Teqball #worldiscurved

Uma publicação compartilhada por Ronaldo de Assis Moreira (@ronaldinho) em

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.