Marcos de Paula/ Estadão
Marcos de Paula/ Estadão

Modesto diz que Mattos, do Palmeiras, tentou aliciar Lucas Lima

Presidente do time alvinegro chama Mattos de antiético

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2016 | 19h36

A relação entre o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, e o gerente de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, nunca foi boa, e o dirigente santista faz questão de ressaltar isso. O último capítulo da rivalidade entre os dirigentes se deu por causa do meia Lucas Lima. Segundo Modesto, o palmeirense foi antiético e tentou convencer o jogador a forçar a saída do clube alvinegro.

"Quem é ético não fica ligando o dia inteiro para o Lucas Lima enquanto ele tem contrato. Não pode aliciar e falar. 'Olha, endurece lá, pois te dou um salário maior, um carro'. Chegar e dizer para o jogador que 'pago pouco para o clube, mas te aumento o salário, pois você ganha pouco'. Isso é conversa de empresário, antiético", disse o dirigente, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Modesto ainda ressaltou que tem amizade com o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, e que já alertou ao amigo sobre os problemas com Mattos. “Gosto do presidente do Palmeiras. Mas o Alexandre Mattos... Eu digo sobre o Paulo Nobre, lembrando um personagem do Jô Soares, 'tem pai que é cego", brincou o dirigente.

Recentemente, Paulo Nobre havia declarado que Lucas Lima foi oferecido por empresários ao Palmeiras, mas que não existiu nem abertura de negociação, por respeito ao Santos.

 

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasSantos FCFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.