Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Modesto relata preocupação com clima no vestiário e nega ter demitido Levir

Presidente santista nega versão de que teria despedido e recontratado o técnico após pedido do elenco

Estadão Conteúdo

24 Outubro 2017 | 13h18

O presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, voltou a comentar, nesta terça-feira, a situação de Levir Culpi e manteve a versão de que o técnico não chegou a ser demitido na última sexta. Na sua versão, ele e o Comitê de Gestão não chegaram a definir que o treinador deveria ser demitido, ao contrário da versão que circulou pela imprensa, explicando que estava preocupado de possibilidade de o treinador ter "perdido o vestiário".

+ Levir indica que Renato deve voltar a ser titular no Santos em clássico

+ Levir critica pressão 'em excesso' no Santos e diz que pensou em sair

"Fizemos a reunião, sim, conversamos, sim, mas sem decisão, mas com a decisão de todos de conversar com o Levir Culpi. Não fazemos as coisas assim escondidas, fazemos as coisas às claras. Havia a preocupação de que precisávamos reverter o quadro. Existiam histórias de que o Levir tinha perdido o vestiário que precisariam ser esclarecidas", afirmou Modesto em entrevista ao SporTV.

De acordo com Modesto, Levir lhe garantiu que se entende bem com o elenco do Santos, em versão que também foi confirmada pelos jogadores do clube. "Eu perguntei e o Levir disse: 'Não tem nada presidente, estou muito confortável no vestiário'. Também conversei com os jogadores, contei que conversei com o Levir e o grupo confirmou que não tinha problemas com ele e que estavam felizes", acrescentou o dirigente.

Assim, Modesto garantiu que órgãos de imprensa erraram ao publicarem que o Santos havia demitido Levir na última sexta. "Todo mundo que trabalha na profissão sabe que a gente erra, que jogador erra, que dirigente erra, jornalista erra", concluiu Modesto.

Na última sexta, um dia após o Santos empatar a terceira partida seguida no Campeonato Brasileiro ao ficar no 1 a 1 com o Sport, na Ilha do Retiro, o que provocou protestos de torcedores do clube. Levir ficou na "corda bamba", com a realização de reuniões para a definição do seu futuro, mas acabou permanecendo à frente do time.

No domingo, então, o Santos se reabilitou no Brasileirão e derrotou o Atlético Goianiense por 1 a 0, chegando aos 53 pontos, a seis do líder Corinthians. O time voltará a jogar no sábado, quando fará clássico contra o São Paulo, no Pacaembu, pela 31ª rodada do torneio nacional.

Mais conteúdo sobre:
futebol Levir Culpi Santos Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.