Reprodução|Youtube
Reprodução|Youtube

Mogi das Cruzes cobra R$ 69 mil do São Paulo e da FPF por depredação

Nogueirão foi palco de briga de organizada e PM na Copinha

Estadão Conteúdo

27 de janeiro de 2016 | 16h45

A Prefeitura de Mogi das Cruzes, proprietária do estádio conhecido como 'Nogueirão' vai cobrar que o São Paulo e a Federação Paulista de Futebol (FPF) arquem com o prejuízo de quase R$ 69 mil causado pela ação da torcida organizada Independente contra a Polícia Militar e a Guarda Municipal em jogo da Copa São Paulo de Futebol Júnior, há 10 dias.

De acordo com a prefeitura, dentro do valor total apurado - R$ 68.896,67 - estão os danos à estrutura do estádio municipal Prefeito Francisco Ribeiro Nogueira, a Arena Nogueirão, inaugurada no fim do ano passado, e o estrago causado nas viaturas que estavam no local. Inicialmente a cobrança será por notificação extrajudicial

"A Prefeitura entende que isso é algo consolidado, que não comporta negociação. Em caso de negativa ou de não resposta no prazo de 15 dias, será proposta uma ação judicial de cobrança, incluindo juros, correção, honorários advocatícios e todos os valores previstos em lei", explicou a procuradora-geral do município, Dalciani Felizardo.

Até enfrentar o Rondonópolis, do Mato Grosso, pelas oitavas de final da Copinha, o São Paulo vinha jogando em Barueri. A FPF, então, decidiu quebrar a rotina de manter os grandes clubes do Estado em sede única, e levou o time tricolor para jogar, com entrada franca, em Mogi das Cruzes, num domingo à noite.

O estádio, que segundo a prefeitura tem capacidade para 14 mil pessoas, rapidamente lotou. Ainda de acordo com administração municipal, cerca de 3 mil torcedores ficaram fora do estádio e um grupo deles tentou invadir o estádio no início do intervalo. A confusão atraiu a torcida organizada, que atacou os poucos policiais civis presentes para fazer a segurança.

Durante o confronto, os torcedores danificaram catracas do estádio, vidros da bilheteria, corrimões das arquibancadas, lixeiras e parte do alambrado. Ainda de acordo com a prefeitura, uma viatura da secretaria municipal de segurança e outra da empresa de segurança que atuava na partida foram vandalizadas. Quinze pessoas passaram pelo posto médico, mas nenhuma ficou gravemente ferida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.