Mogi ganha do Corinthians na estréia

O Corinthians preparou grande festa para a torcida em sua estréia no Campeonato Paulista. Quase 17 mil pessoas foram ao Pacaembu na noite de hoje para ver a apresentação de Tevez, Carlos Alberto, Sebá, Marinho e Marcelo Mattos. O clima de euforia tomou conta do público, que ovacionou seu novo astro argentino. Tevez retribuiu o carinho e acenou para os torcedores. Um problema, porém, talvez tenha sido esquecido pelos organizadores do show ou pela diretoria corintiana: nenhum deles entraria em campo. Os ?astros? eram Jô, Wendell, Renato... E, na hora de a bola rolar, tudo foi diferente. O Corinthians jogou mal, perdeu por 2 a 1 para o Mogi Mirim e teve de conviver com as vaias. "Não projetava uma derrota em casa na estréia, mas não jogamos bem, sobretudo no primeiro tempo", disse o técnico Tite. Não demorou para que a Fiel se desse conta de que a festa havia durado apenas até o início do jogo. Sem os reforços, o time que se exibiu no Pacaembu foi o mesmo de 2004, medíocre, que começou mal o Brasileiro, mas se recuperou e acabou na quinta posição. Mas nem o mais pessimista poderia prever resultado tão ruim. Empurrado pela torcida, o Corinthians partiu para o ataque e deixou espaços para o adversário. E o Mogi contou com um atleta inspiradíssimo: Neto. Aos 20 minutos, calou o Pacaembu, ao acertar belo chute. Pouco antes do intervalo, ganhou dividida de Betão e fez 2 a 0. Neto, 22 anos, deu um abraço em Tite na saída do gramado. Trabalhou com o treinador no São Caetano. Esteve, antes do Mogi, no Mirassol e chegou a atuar no Vietnã. A desvantagem no placar e a fraca atuação de Gil, Renato, Rosinei, Betão e Edson irritou a torcida, que pediu a Tevez que entrasse em campo. O argentino estava nas tribunas. No início do segundo tempo, boa jogada de Gil e Jô diminuiu. A Fiel voltou a acreditar, mas o ímpeto corintiano não durou muito. O Mogi conseguiu, com certa tranqüilidade, segurar os 3 pontos. Nem Kia, Tevez & Cia. suportaram assistir à partida até o fim. Por volta dos 30 minutos, deixaram as tribunas. Nada satisfeitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.