JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Mogi Mirim garante ida à Série B e emociona 'cartola' Rivaldo

Time empata sem gols em casa com o Salgueiro e garante acesso, que configura primeiro feito nacional do ex-jogador como presidente

Estadão Conteúdo

24 de outubro de 2014 | 18h41

O Mogi Mirim-SP é o primeiro clube a garantir o acesso no Campeonato Brasileiro da Série C - a terceira divisão nacional. Ao empatar sem gols com o Salgueiro-PE, pelas quartas de finais, nesta sexta-feira, no estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim (SP), o time carimbou o seu lugar para disputar a Série B em 2015. O empate serviu porque na ida, no sertão de Pernambuco, a equipe paulista venceu por 1 a 0.

O time paulista agora avançou às semifinais e vai enfrentar o vencedor do duelo entre Tupi-MG e Paysandu-PA, que vão decidir a vaga em Juiz de Fora (MG) neste sábado. Na ida, em Belém, o clube paraense venceu por 2 a 1 e joga pelo empate.

Esta é a primeira grande conquista de Rivaldo, pentacampeão mundial em 2002, agora como dirigente. Ele é o presidente do Mogi Mirim Esporte clube e se emocionou após o jogo. "Estou muito feliz de realizar este sonho. Já ganhei muitos títulos como jogador, mas como presidente de clube agora é diferente. É como se estivesse dentro de campo. É muita emoção. Passamos um ano com dificuldades, mas conseguimos atingir o nosso objetivo que é o mais importante", comentou o presidente Rivaldo, que este ano pendurou as chuteiras, mas viu seu filho atingir uma meta. Ele não sabe ainda se vai tocar o time na próxima temporada, por falta de recursos e de ajuda dos empresários da cidade.

BOLAS ALTAS
O Salgueiro tentou vencer, mas não teve uma boa atuação. Exagerou nos cruzamentos por cima e pouco criou dificuldades para o goleiro Mauro. No segundo tempo, com forte calor, o Mogi Mirim se fechou e pouco se arriscou ao ataque. Nos últimos minutos, o time da casa se fechou para depois comemorar o acesso com sua pequena torcida. Houve até invasão de gramado.

A campanha do Mogi Mirim na temporada foi tumultuada, com Rivaldo sofrendo pressão de alguns conselheiros por supostas irregularidades nas propriedades do clube. O ex-jogador também criou um clima ruim com a imprensa ao proibir que os jornalistas acompanhassem os treinos do time e que os jogadores dessem entrevistas.

Em campo, armado pelo técnico Ailton Silva, o time terminou a campanha com Claudio Batista, ex-atacante dos anos 90 de XV de Piracicaba e Bragantino, entre outros. E foi bastante regular. Na primeira fase somou 31 pontos na vice-liderança do Grupo B, só atrás do Tupi, com 34. E pegou o Salgueiro, terceiro colocado com 27 pontos no Grupo A. Agora vai se concentrar nas semifinais, mas pode sonhar com o título da temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.