Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Moisés afirma que clássico deve eliminar um concorrente ao título

Para meia do Palmeiras, jogo com o Santos deixará quem perder muito distante da chance de ganhar o Brasileiro

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2017 | 18h24

A preparação do Palmeiras para o clássico de sábado contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro, começou nesta quarta-feira com os titulares no campo, reunião com a diretoria e clima de expectativa. O meia Moisés afirmou em entrevista coletiva que o confronto direto pela segunda posição na tabela terá como impacto forçar o derrotado à possível frustração de ficar com poucas chances de título.

+ LEIA MAIS - Willian e Luan escapam de punição no STJD

O Santos tem 43 pontos, um a mais do que o Palmeiras. Os dois tentam perseguir o Corinthians, líder com 54. "Aquele que sair derrotado vai ver as chances de título diminuírem bastante. Então, o clássico vale para manter a chance de ser campeão. Isso faz o jogo adquirir uma importância maior, pois temos a chance de fazer um bom jogo em nossa casa", afirmou Moisés.

O clima de expectativa para o clássico marcou o dia no Palmeiras. A equipe começou a preparação com uma reunião no centro do gramado entre jogadores, o técnico Cuca e a a diretoria. "Tivemos uma conversa que tem quase toda semana. Eles nos colocam metas para atingir. Falamos sobre nossa melhora, evolução e a possibilidade de título", contou Moisés. O Palmeiras, quarto colocado, está 11 pontos atrás do Corinthians.

Palmeiras e Santos estão junto do Grêmio na classificação, mas ao contrário da equipe gaúcha, que está na disputa da Copa Libertadores, não têm outra competição para disputar na temporada. Neste ano foram dois clássicos disputados entre as equipes paulistas, ambos na Vila Belmiro, com uma vitória alviverde por 2 a 1 pelo Campeonato Paulista e um triunfo alvinegro por 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro.

Moisés evitou falar da rivalidade entre as equipes, acirrada nos últimos anos. Os encontros nas decisões em 2015 do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil, mais a disputa pelo título brasileiro de 2016, fizeram crescer provocações entre jogadores e torcedores. "São dois times que estão sempre buscando títulos e protagonizando grandes jogos, mas nada além do normal. Isso de rivalidade a gente deixa para a imprensa e para a torcida", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.