Cesar Greco/ Ag. Palmeiras/ Divulgação
Cesar Greco/ Ag. Palmeiras/ Divulgação

Moisés sofre lesão grave no joelho e fica seis meses afastado

Meia rompeu o os ligamentos cruzado anterior e colateral medial

O Estado de S.Paulo

20 Fevereiro 2017 | 11h14

O pessimismo em relação ao diagnóstico da contusão do meia Moisés se confirmou. Após exames clínicos e de imagem nesta segunda-feira foi diagnosticada uma lesão grave no joelho esquerdo. O jogador do Palmeiras rompeu os ligamentos cruzado anterior e colateral medial. O prazo estipulado para retorno é de pelo menos seis meses.

A contusão de Moisés aconteceu no primeiro tempo da vitória diante da Linense por 4 a 0, neste domingo, pelo Campeonato Paulista, em jogada com Zé Antônio. Depois da disputa de bola, o meia chorou bastante e, ainda no campo, foi consolado pelos companheiros de time antes de sair de maca. Pouco depois da partida, o jogador, que já imaginava um  diagnóstico negativo, postou um desabafo no Instagram, dizendo que iria "passar pelo momento mais difícil da carreira".  

Moisés demonstrou ainda ressentimento por Zé Antônio, que não se desculpou pelo lance. Coincidentemente, no ano passado, o palmeirense sofreu uma fratura no pé direito após lesar um pisão do mesmo jogador, em um jogo diante da Linense. "Não irei guardar mágoa, muito menos rancor do agressor, mas me entristece muito não ter recebido nem um pedido de desculpas ou qualquer palavra de incentivo, mas a vida segue e Deus há de me fortalecer", publicou Moisés. 

O técnico Eduardo Baptista já havia criticado as jogadas violentas do rival antes mesmo de saber a gravidade da lesão. "A gente fica triste por ele. O Linense extrapolou na violência, foi o Moisés e poderia ter tido até mais. Meu time sempre virá para jogar futebol, vai perder, empatar ou ganhar, mas vai jogar para ganhar", afirmou o treinador na entrevista coletiva. 

Mais conteúdo sobre:
FutebolPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.